Pela manutenção da reação!

A vitória sobre o Sport (1 x 0) na última rodada foi um passo importante para o São Paulo ter novos rumos no Campeonato Brasileiro de 2017. Além de ter saído do Z-4 após 13 jogos, a equipe não sofreu gol depois de dez partidas e alcançou sua maior série invicta na competição nacional – quatro duelos. E na noite desta quarta-feira (11), às 21h45 (de Brasília), em Belo Horizonte, o Tricolor tentará dar sequência a sua recuperação no torneio diante do Atlético-MG.

Com 31 pontos, o Tricolor está na 14ª colocação e terá pela frente um adversário que detém 34 pontos: os mineiros ocupam o nono lugar. O novo momento são-paulino será testado com algumas mudanças: Jonatan Gomez e Bruno Alves ganham novas oportunidades nas vagas dos selecionáveis Cueva e Arboleda, que participaram das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Diante dos atleticanos, o São Paulo colocará os próprios números à prova: há quatro jogos sem perder – Ponte Preta (2×2), Vitória (2×1), Corinthians (1×1) e Sport (1×0) –, o Tricolor tem a sexta melhor campanha do returno, com 12 pontos em sete jogos, e o segundo melhor ataque (12 gols). O Botafogo (13 pontos e 13 gols) lidera nos dois quesitos.

“Temos de começar a valorizar a recuperação e buscar o resultado em um jogo fundamental como esse. Temos de fazer o jogo dentro das nossas condições e repetir as atuações fora de casa que já tivemos. Com esse equilíbrio, talvez dê para buscar algo a mais. Será um confronto muito difícil”, disse o técnico Dorival Junior, que emendou.



“São dois times muito próximos na tabela. Um bom resultado seria muito importante e daria mais confiança, para resgatar essa condição. Estamos caminhando. Demos um pequeno passo, ainda que pequeno, para sair dessa zona. Agora temos de ter consciência de estabelecer na competição e buscar mais resultados. Espero que a gente faça um jogo superior aos anteriores pra aumentar a chance de vencer”, afirmou.

O duelo desta noite também marcará o reencontro do centroavante Lucas Pratto com a Arena Independência, estádio onde viveu grandes momentos na carreira. “Todos sabem do carinho que tenho. O Atlético-MG mudou de técnico e buscou resultado fora de casa. Recuperaram um jogador importante que fez dois gols, um dos melhores do Brasil”, avaliou o camisa 9, que completou.

“Na Arena Independência o time se sente muito bem, mas também sei que é o pior ano do Atlético-MG como mandante dos últimos cinco ou seis anos. Temos de aproveitar isso, é um dos times que mais perdeu em casa. Conseguimos respirar um pouco na tabela, mas tem de conseguir muitos resultados para ficar tranquilo”, finalizou.

Let’s block ads! (Why?)


Confira outras notícias no Arquibancada Tricolor