72 horas: da derrota ao empate, os três dias que mudaram o SPFC

Dois tempos é a coluna semanal do Mário Pravato, publicada normalmente às quartas. São dois assuntos diferentes e às vezes pode acontecer uma prorrogação e até mesmo uma disputa por pênaltis! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Foram 72 horas que mais pareciam uma série de ação na Netflix. Tive a ideia de escrever esta coluna na tarde deste sábado (28), quando estive em um aniversário e conversando com outros são-paulinos, fiz a analogia começando na derrota contra o Goiás na quarta-feira (25) e imaginando o que poderia acontecer no jogo contra o Flamengo, que terminaria perto das 72 horas se completarem.






Segue o fio abaixo, foram muitas mudanças!

Onde tudo começou

Quarta-feira, 25 de setembro. Quando o árbitro Bruno Arleu de Araujo encerrou a partida, às 23h28, o São Paulo perdia para o Goiás por 1 a 0 no Morumbi, em mais uma péssima partida da equipe. Reinaldo perdeu um pênalti, o Tricolor cruzou 36 bolas na área esmeraldina e Cuca e diversos jogadores foram vaiados e xingados pela torcida.

As primeiras 24 horas

Quinta-feira, 26 de setembro. O relógio marcava dois minutos da quinta-feira, quando o técnico Cuca dava a sua última entrevista coletiva como treinador do São Paulo. Cuca citou que também xingaria o treinador do seu time, que não venceu em casa adversários como CSA e Goiás. Deixou claro que não estava confortável com a situação do time no campeonato, mas não demonstrou que pediria o boné na manhã seguinte, pois falava sobre o jogo de sábado.

Cuca oficialmente deixou de ser o técnico do São Paulo às 16h07, quando o Twitter oficial do clube postou a informação, apesar que os jornalistas André Hernan, Eduardo Rodrigues e Marcelo Hazan do Globo Esporte já haviam soltado a bomba às 14h40.

Às 16h15, mais duas bombas que afetaram o elenco: Everton e Toró foram diagnosticados com sérias lesões. Everton com uma lesão parcial no ligamento cruzado posterior do joelho esquerdo, que o deixará fora do restante da temporada. Já Toró sofreu um novo estiramento na coxa esquerda, que pode ser pior do que o último e levar mais tempo para ser curado. Ambos eram opções para a ponta-esquerda.

Às 16h25, Raí confirmava Vagner Mancini como o treinador do Tricolor para o jogo contra o Flamengo no sábado, e muito provavelmente até o final da temporada.

Diniz é anunciado e chegamos às 48 horas da tormenta

Poucos minutos após completar 24 horas do início da tormenta, o São Paulo anunciou o técnico Fernando Diniz às 23h42 ainda da quinta-feira (26). Um anúncio que surpreendeu a todos, já que Raí havia afirmado que Vagner Mancini seria o técnico para a próxima partida.

No início da sexta-feira (27), mais precisamente às 00h20, o jornalista Marcelo Hazan dava a notícia sobre a saída de Vagner Mancini, que também pediu demissão, mas que até então não havia dado maiores detalhes.

Pela manhã de sexta-feira, Fernando Diniz já treinou o time e foi apresentado oficialmente às 12h47.

Como não só o São Paulo é bagunçado no futebol brasileiro, desde o início desta série, que ocorreu na derrota para o Goiás, outros 3 técnicos foram demitidos de seus times além de Cuca: o M1TO Rogério Ceni foi mandado embora pelo Cruzeiro após incríveis 46 dias; Zé Ricardo, que assumiu a vaga de Ceni no Fortaleza também foi mandado embora após absurdos sete jogos e por fim, Oswaldo de Oliveira, técnico que não deixou saudades no Morumbi, foi demitido do Fluminense, após o papelão promovido junto com o meia Ganso, além de ter mostrado o dedo do meio para um torcedor. O mais bizarro disto tudo, é que pelo andar da carruagem, Rogério voltará para o seu antigo posto e se bobear Zé Ricardo também fará o mesmo. É mole?

Na manhã de sexta ainda teve tempo para mais uma: uma fake news dizendo que Diego Lugano havia se demitido circulou nas redes sociais, mas foi desmentida pelo jornalista Marcelo Hazan:

Como não tivemos mais nada até completar às 48 horas desta série, vamos destacar a derrota em casa do time de basquete no primeiro jogo da semifinal do paulista para Franca, por 89 a 77, onde chegamos a estar perdendo por 19 pontos. Não tem ligação alguma com o que estava acontecendo com o futebol, porém foi mais um revés da instituição São Paulo FC nas últimas 48 horas

Mancini solta o verbo e a redenção do empate após 72 horas

Já no sábado (28), parecia que tudo voltava à calmaria: técnico novo, nova filosofia de jogo e um pouco de medo de enfrentar o badalado Flamengo no Rio de Janeiro, quando às 14h06 vazou um áudio enviado via WhatsApp por Vagner Mancini, revelando o real motivo de sua saída:

Vagner Mancini confirmou a veracidade do áudio ao Globo Esporte.

Todos davam o São Paulo como vencido no Rio de Janeiro. Este que vos escreve, acreditava que uma derrota por até 3 gols poderia ser comemorada como vitória (pensamento totalmente realista e sem clubismo). O jogo começou, o São Paulo foi muito pressionado, mas às 20h55 o árbitro encerrava a partida: Flamengo 0 x 0 São Paulo.

Entre a choradeira de Jorge Jesus e alguns jogadores flamenguistas, que reclamaram da postura do Tricolor no Macaranã, ainda deu tempo de Raí confirmar às 22h26 que houve influência de jogadores na escolha por Diniz, conforme reportagem do Globo Esporte.

Por fim, chegamos às 23h28 de sábado, 28 de setembro de 2019. Completam-se 72 horas da derrota para o Goiás na quarta-feira e o início de tudo isso que listei acima. Ufa!

Caso eu tenha me esquecido de algo, mandem aqui nos comentários, mas usei o Twitter oficial do SPFC como referência, além da página do Tricolor no Globo Esporte.

Quantas reviravoltas em apenas 72 horas, não só no São Paulo, como em todo o futebol brasileiro!


Mário Pravato Junior

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Comente com sua conta do Facebook: