Aula de Contra-Ataque

Por Leandro Oliveira – 28 de setembro de 2017

Salve, nação tricolor!

Vamos em frente com a saga de jogos memoráveis do nosso tricolor. O adversário desta vez é o Sport, e uma vitória nos tira da zona de rebaixamento. A hora é essa!

Escolhi este jogo por conta do segundo gol, marcado por Pato. Ganhamos por 2×0, e o tento que fechou o placar foi uma pintura, uma aula de como fazer uma rápida transição defesa-ataque. Tudo que, a meu ver, precisamos para o time atual, que tem posse de bola, mas às vezes, sem objetividade e velocidade, para aproveitar os espaços deixados por um time que nos ataca e deixa a defesa desguarnecida.

O JOGO

Este São Paulo x Sport de 2014 foi válido pela última rodada do primeiro turno. Do meio pra frente, uma excelente linha, com Souza, Kaká, Ganso, Kardec e Pato. Só poderia sair coisa boa.

Primeiro tempo começou com pressão tricolor em busca do gol, e ele veio já aos 7 minutos, após uma tabela entre Kardec e Ganso, o atacante invadiu a área pela direita e tentou cruzar rasteiro para Pato. A bola desviou em Rithely e encobriu o bom goleiro Magrão. A conclusão não foi lá essas coisas, mas valeu pela linda tabela tricolor.

Em seguida, o lance que virou o tema deste post: tudo começou num escanteio para o Sport. Ibson (olha ele aí…) cobrou mal e Kaká, na entrada da pequena área, dominou já avançando em velocidade. O próprio Ibson tentou o desarme ali, mas tomou uma meia-lua do meia tricolor, que já iniciava o ataque. Kaká tabelou com Auro e quando recebeu de volta, já na linha que divide o gramado, lançou Pato que estava aberto na esquerda. O atacante cortou pro meio, e após também tabelar com Auro, que acompanhou o lance, passou para Tolói (sim, zagueiro acompanhando o ataque!), que enxergou Souza passando pelo seu lado direito, pedindo a redonda. Tolói atendeu, e Souza, de primeira, encontrou Pato, já dentro da área. Pato dominou com a esquerda e bateu com a direita, na saída de Magrão. Sem chance para o goleirão do Sport. Um golaço! Uma aula de contra-ataque!

Foram 22 segundos, desde a cobrança de escanteio, até a bola tocar a rede do Sport, do outro lado do campo, passando por 5 jogadores diferentes e contando com 4 toques de primeira. Coisa de treinamento. Coisa que mata qualquer defesa.

Que o time atual tenha este tipo de treinamento, e deixe de ser burocrático. O toque de primeira é pra quem sabe, mas é pra quem treina também, e treina muito. E acima de tudo, é muito do que nosso tricolor está precisando .

Confira aqui o lance do segundo gol:

E aqui, os melhores momentos da partida:

E aí, matou a saudade?

#avantemeutricolor






Fonte: 90goals

Comente com sua conta do Facebook: