Taças do Tricolor
Foto: Alexandre Alves

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Amigos tricolores.
Permita que eu me apresente, antes de tudo.

Sou o Felipe Morais, publicitário, apaixonado pelo São Paulo. Em 2016, lancei o livro “Ao Mestre Com Carinho. O São Paulo da Era Telê” (Ed Inova) o que me deu um profundo prazer em escrever essa deliciosa obra.

Costumo dizer que eu não escolhi escrever esse livro, mas sim, fui escolhido para essa missão, não consigo explicar, mas acredito que o mestre Telê tenha me passado essa missão.

O livro, comecei em 2010, mas só consegui finalizar em 2016. Vida corrida, muitas pesquisas e falta de tempo para me dedicar, mas enfim, em 2016 o livro saiu.

E para a minha surpresa, muitos amigos vieram como o Mário e o Ricardo aqui do Arquibancada Tricolor que me proporcionam, a partir de 2019, o prazer em ter uma coluna semanal em um dos mais importantes canais independentes do nosso amado Tricolor. E semanalmente vou escrever aqui artigos, com a minha modesta opinião sobre o que acontece com o nosso São Paulo, um time que já foi gigante, mas hoje, está se apequenando. O que me deixa muito triste, para não dizer outra coisa.

Nossa história é linda!

Todo o começo de ano é aquela renovação de esperança. Vestimos várias cores para atrair amor, dinheiro, prosperidade. Cada um acredita no que quer, as crenças populares tem de ser respeitadas.

Eu costumo passar de branco, uma tradição, mas confesso, que já passei com a camisa do São Paulo alguns anos, ainda mais nos anos de glória que tivemos em 2006, 07, 08, anos, que sonhamos que voltem um dia.

Não sei vocês, mas eu não aguento mais ser motivo de chacota da imprensa e adversários. Tenho muitos amigos que torcem para outros times, e quando um time ganha, meu WhatsApp e Facebook lota de piadas. Acho legal isso, faz parte do futebol, mas poxa, quando eu vou poder retribuir? Cansei de “time grande não cai”, isso é fato, nunca caímos, mas se time grande não cai, time gigante ganha títulos!

E o São Paulo é tão grande, que mesmo desse 2012 sem ganhar um titulo internacional, em 6 anos, os adversários não chegaram perto de nós. Prova de que o São Paulo, é um time diferente, nasceu diferente, tem uma postura diferente e uma torcida diferente.

Não leve isso para o lado da zoeira, com interpretações de duplo sentido, apenas entenda que ser são-paulino é diferente do que torcer para o time que precisa de juiz para ganhar ou outro que se vende para patrocinador para ganhar. Não dependemos e juízes ou de fax, o São Paulo, quando ganha, o faz em campo.

Time da Fé

Acredito que muitos conheçam a história do São Paulo, da famosa “moeda que caiu de pé” aliás, tema de um recente filme do nosso tricolor, que recomendo assistirem.

O São Paulo já silenciou muita gente, com a história da moeda por exemplo. Quando muitos achavam que apenas Corinthians e Palmeiras ganhariam títulos, o São Paulo provou que podia!

Quando muitos tinham medo de contratar, o São Paulo trouxe a lenda Leônidas da Silva, por um valor astronômico para a época. Quando foi construir a nossa casa, não poderia ser nada menor do que o maior estádio particular do mundo.

Quando Sastre veio para o São Paulo, a imprensa o chamou de Desastre e ele em um jogo fez mais de 5 gols. Quando o “Pé Frio” Telê Santana veio para o São Paulo, ele ganhou o mundo 2 vezes, por essas coincidências do destino de um time espanhol e um italiano.

Por que coincidência? Porque Telê perdeu a Copa do Mundo de 1982, na Espanha, para a Itália, com o time mais magnifico que uma seleção já teve.

E a culpa não foi só dele, claro! Cerezo chegou com quase 40 anos, acabado para o futebol para os entendidos da imprensa, em 1993, foi eleito o melhor em campo, fôlego de garoto, por sinal.

Quando todos riam de um goleiro bater falta, tivemos um que fez mais de 130 gols, inclusive, o 100º sendo em cima do time com mais torcedores dentro do jornalismo esportivo.

Quando chegamos em Tóquio, 2005, o Liverpool estava a 11 jogos sem tomar gol, Gerrard era um gênio. Mineiro calou os ingleses e Rogério mostrou porque era um M1TO. A imprensa jamais vai admitir, mas nós, torcedores do melhor do mundo podemos, o São Paulo incomoda demais!

Um gigante adormecido

É assim que eu nos vejo. O São Paulo, marca, instituição, clube, é gigante. Nenhum time no Brasil tem os títulos e a história que temos, e poucos times no mundo o tem.

O Real Madrid nunca nos venceu e já tomou uma goleada de 4X0 em pelo Santiago Bernabeu e uma de 3X0 no Pacaembu com Valdir Bigode no comando do São Paulo. Hoje, estamos adormecidos.

Há fases de cada um dos times, todos já enfrentaram fila. A nossa, de 1957 a 1970 teve um nome, Estádio Cícero Pompeu de Toledo, a dos outros times foi incompetência mesmo. Um, depois de 23 anos, dizem, subornou juiz, o outro, depois de 17 se vendeu para uma marca de leite. Nós, em campo, sempre e com recursos próprios.

A nossa fila caminha para 11 anos sem um titulo de expressão. Desculpem os saudosistas, mas Paulista e Sul-Americana são títulos, importantes, mas de 2ª linha. Falo de Copa do Brasil (que nunca ganhamos), Libertadores, Brasileiro e Mundial.

Precisamos ganhar algo esse ano. Esperança renovada, boas contratações como Volpi e Pablo, apostas como Igor e Léo Pelé. E claro, com a melhor da notícias, a volta do Profeta, essa não é boa, é excelente contratação!!!

Jardine no comando, respaldo de Raí, um novo coordenador vindo para o São Paulo, especula-se um ídolo da era Telê como Zetti, Ronaldão ou Pintado.

O time se manteve do ano passado, temos o melhor zagueiro em atividade no país, Arboleda, que faz ao lado de Bruno Alves uma 3 das melhores duplas do país.

Temos um goleiro experiente e muito bom, que será importante para o crescimento do Jean, que se colocar a cabeça no lugar, tem tudo para ser um grande ídolo.

Temos Nenê e Diego Souza que são acima da média, temos Everton, que deverá voltar como o “motorzinho” do São Paulo, temos Pablo que, ao menos no ano passado, na hora que precisou, ele não teve medo e foi decisivo.

Temos uma boa espinha dorsal, no papel, mas há de se esperar mais empenho e raça, principalmente de Nenê e Diego Souza. E tudo isso, ganha um peso enorme com a categoria e experiência do profeta, no comando de tudo!

2019: Nos traga títulos

Pois é 2019, nunca te pedi nada! A Libertadores e o Mundial está de bom tamanho.

Deixemos o Paulista para times menores, como o Corinthians, deixemos a Copa do Brasil para algum Mineiro ou Gaúcho e até deixamos o Brasileiro para um carioca.

A Sul-Americana deixamos para algum time sem chances no Brasileiro, mas a Libertadores e Mundial, que sejam nosso, ok? Brincadeira à parte, claro, quero ganhar tudo! Torceremos, xingaremos, reclamaremos, mas o amor jamais perderemos!

Feliz 2019 para todos vocês!

Felipe Morais

Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br – facebook.com/plannerfelipe e @plannerfelipe

*As opiniões expressas aqui são de responsabilidade do autor do texto, e não refletem a opinião do site

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Foto: Alexandre Alves – Flickr