#ColunaAT – David Neres Seleção

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Podemos gritar “ão ão ão, David Neres Seleção” pois finalmente, Sr. Tite acordou para o talento do garoto. Graças ao nosso presidente, que tem ânsia por vendas, ele pouco jogou com a camisa profissional do São Paulo, mas pelo o pouco que jogou, era nítido que o “moleque” tinha futuro como craque. Acompanhei, confesso, pouco do seu trabalho na base, mas pelo pouco que eu vi, já era claro seu talento diferenciado. Algo, como, recentemente vimos com Lucas Moura e Militão e agora acompanhamos com o jovem Antony. Isso sem esquecer de Toró, a quem eu deposito muita confiança e vejo como um promissor atleta. Helinho, uma pena, decepção, mais do mesmo, talvez, ainda com medo de se soltar em campo.






A Base do São Paulo tem sido, nos últimos anos, a grande esperança e alegria do time, não apenas com títulos mas com joias projetadas para o time titular, como Militão, Luan, Liziero, Igor, Walce, sem contar, claro, com os já mencionados e com Gabriel Novaes, que espero voltar mais maduro do Barcelona e quem sabe ser o camisa 9 que o São Paulo precisa! Não que o Pablo não esteja bem, mas esse é um jogador versátil que pode facilmente jogar pelos lados com o Novaes mais centralizado. Bem, isso é um problema para o técnico do São Paulo na época em que Novaes voltar.

Talentos de sobra

David Neres tem um ponto a seu favor. A camisa não pesa. Criado na base do time da camisa que “entorta varal”, ele se acostumou com o dia a dia de cobranças logo cedo. Até por ser são-paulino, ele provavelmente deve ficar muito bravo com o que vê em campo e sabe que pode ajudar, por isso, quando entrou, por exemplo, contra o Corinthians, no Morumbi – no único jogo que Cueva deu show – ele não sentiu o peso e até fez gol. Jogador diferenciado é assim, quando entra no turbilhão, não sente a pressão. Lucas Moura, Luan e Militão, por exemplo, foram assim, ao passo que talentos que tanto apostávamos como Helinho, Lucas Fernandes e Igor, ainda não demonstraram no time principal o que faziam na base tricolor. Shaylon é outra esperança, que espero dar certo. Não torço contra ninguém, quanto mais esses talentos se firmarem, melhor para o São Paulo. O sonho de qualquer time, no Brasil, é formar uma base forte e vencedora, que se gaste pouco com grandes contratações, mas que se venda por milhões, tendo um altíssimo lucro para o clube, no São Paulo, era possível fazer isso, mas infelizmente o imediatismo que reina por lá não deixou.

Que time teríamos!

Já pararam para pensar como seria o São Paulo com toda a base ficando por aqui? Um ataque com Lucas Moura, Gabriel e David Neres? Sem precisar gastar 10 milhões no Pablo, 6 milhões em Everton Felipe ou 10 milhões em Diego Souza? Já pensou a defesa com Militão, sem precisar trazer o Bruno Peres? Um meio com Luan e Liziero sem precisar de Jucilei, Hudson e Willian Farias? Não precisar ir atrás do Volpi pois tinha Lucas Perri no CT. Pois é, mas o imediatismo não deixou, se vende bem, mas se compra mal no São Paulo. Diego Souza é só mais uma prova disso.

David titular?

O Tite joga com um esquema com 3 atacantes. Infelizmente, Neymar é o titular absoluto. O “menino” Ney, como vem sendo chamado, é talento puro, mas prefere estar mais na coluna social do que no caderno de esporte. Deixou de ser jogador, para ser celebridade. Talento para ser o melhor do mundo, tem, com o declínio de CR7 e Messi – pela idade e proximidade ao fim da carreira – ele tinha tudo para ser o melhor, mas assim como seu antecessor Bobinho (chamo assim mesmo), a cabeça pequena não o transformará em ídolo como, já foram Romário, Careca, Muller, Pelé, Garrincha…

Copa de 2022, será mais uma perdida porque o menino Ney terá algum problema que só será resolvido a base de festas. Por outro lado, 2 vagas se abrem. O sonolento Gabriel Jesus, camisa 9 que quase não deu um chute ao gol na Copa, é uma opção, mesmo Firmino jogando mais. E a outra vaga? Por mim, o ataque seria Lucas Moura e David Neres, com um camisa 9 centralizado, tendo o menino Ney como armador ao lado de Coutinho, outro que também está mal. Time rápido, com toque de bola e indo para cima de qualquer defesa, seja a Bolívia, seja a Alemanha!

Ainda é cedo para cravar o David Neres titular, o Tite chamou, acho que muito mais pela pressão do que por convicção, mas espero que David Neres jogue muito nos treinos, deixe os zagueiros no chão, marque golaços para que Tite fique sem ter muito o que fazer e o coloque titular, porque se entrar, não sai mais!


Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Comente com sua conta do Facebook:
Você já conhece a Loja do Arquibancada? Modelos exclusivos para você mostrar o seu amor pelo Tricolor!