#ColunaAT – Dinheiro não compra amor!

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Finalmente estou escrevendo aqui, em quase 2 anos, um artigo em que estou feliz da vida! Depois de quase 200 minutos de nervosismo, de Tabu e de entender que uma “molecada” ia enfrentar o milionário time verde, foi lindo ver Volpi defendendo a cobrança e nos colocar na final! Se vamos ganhar, é outro problema, mas enfim, podemos ver uma luz no fim do túnel! O São Paulo caminha para voltar a ser grande. E justamente pelo caminho mais claro e óbvio: a base!

O jogo contra o Palmeiras foi teste para enfartado. A começar que, toda a imprensa já dava como certa a vitória verde. Não vi um jornalista dizer que o São Paulo passava, a não ser Denilson, que está cravando o São Paulo campeão desde o jogo contra o Ituano. Até agora, nosso ex-craque e eterno ídolo tem “dado as ideia certa” como ele mesmo diz. E que acerte! Precisamos de um titulo, a torcida merece, essa molecada merece, a instituição São Paulo Futebol Clube merece. Tínhamos que quebrar o Tabu de nunca ter vencido os verdinhos na casa deles, tínhamos até o medo de uma goleada, que infelizmente virou rotina dentro da casa deles, tudo estava contra o São Paulo. A imprensa, bem, essa eu nem ligo pois é sempre uma força contra o São Paulo que dá até dó, sorte que hoje, com as Redes Sociais, as besteiras viralizam e esse pessoal é criticado em seus perfis pessoais, podem não querer ler, mas está ali a revolta. Se os donos de rádios lessem mais o Twitter e fizessem a co-relação da queda de audiência mediante a isso, muitos jornalistas estariam desempregados agora. Só no futebol, e no jornalismo esportivo, a incompetência é premiada.






Tia Leila, compra tudo, menos amor!

Pato veio para o São Paulo. Pablo veio para o São Paulo. Alguém dúvida que o salário deles nos verdes seria maior que no São Paulo? Duvidam do dinheiro da Crefisa, a dona do Palmeiras – sim, dona, porque, de novo, os verdes se venderam – poderia pagar as multas rescisórias de ambos? Mas eles optaram em vir para o São Paulo, por amor a camisa tricolor, e isso, deve ser valorizado, pois quando se joga no time do coração, sempre se dá o algo a mais. Aloísio Chulapa, por exemplo, nunca foi um craque, mas em campo, um guerreiro. Ele, certa vez, deu uma entrevista em que contava uma conversa com Alex Dias, seu companheiro no Goiás e Paris Saint Germain, que Alex achava ótimo a ida dos dois ao São Paulo pensando em Seleção Brasileira e Aloisio, com os olhos cheios de lágrimas, disse que para ele, a seleção era o São Paulo. Olha o que ele fez pelo time e como a torcida o trata hoje. É isso que devemos ver no tricolor. Já rodam fotos de Antony e Igor Gomes, pequenos, com a camisa do São Paulo, Antony na arquibancada vendo os jogos. Essa galera entra com um amor em campo, que há muito não se vê no futebol e isso, faz sim, a diferença, é parte da mente campeã, que meu amigo e mestre, Roberto Shinyashiki tanto prega para o sucesso de um time vencedor, seja no futebol, seja nas empresas.

Jogo duro, mas passamos

O jogo de domingo, com tudo o que mencionei, tinha tudo para não ser tão feliz para nós. Sem dúvida, o elenco milionário do Palmeiras os coloca em evidência contra o time, ainda em formação, do São Paulo. Achamos um time ótimo, mas ainda tem Pato, Hernanes, Tchê-Tchê e Vitor Bueno. Nenhum desses chegou para ser reserva. A base deu conta do recado, Thiago Volpi está mais seguro, se mostrando aquele goleiro que o torcedor esperava que ele seria, a zaga está bem postada, Luan dando a proteção necessária e Liziero com seu toque de bola dando outra cara ao time. Igor, precisa ser mais decisivo, mas está evoluindo bem e Antony ainda comete erros de um recém-promovido, nada que não se espere, mas tem um talento acima da média. O importante é que dentro do Morumbi ou no Allianz, o São Paulo não tremeu! Felipe Melo, malandro, tentou, com sua experiência, provocar Igor Gomes, de apenas 21 anos, não conseguiu. Bruno Henrique, estava nervosinho no jogo, tomou um enquadro do Hudson! O São Paulo jogou bola, foi para cima, e se o gol de Deyverson tivesse sido, erradamente, marcado, eu mesmo assim estaria feliz com o São Paulo, pois estou vendo uma luz no fim do túnel, e essa luz está cada vez mais próxima!


Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Comente com sua conta do Facebook: