#ColunaAT – Lugano tem razão

A TRIbuna do Braga é escrita pelo Rodrigo Braga em todas às sextas.

Dias atrás o agora dirigente Diego Lugano fez um diagnóstico absolutamente certeiro da situação do São Paulo: segundo o uruguaio, o clube está sangrando porque não consegue sair do ciclo vicioso em que se enfiou. Por causa dele, a bola queima no pé dos jogadores, a pressão só aumenta dentro e fora de campo, os títulos não vem e a fila só aumenta, pequenas crises cotidianas de vestiário se transformam em dramalhões. É mais ou menos assim, o certo é que está tudo interligado. Eu mesmo escrevi sobre isso algumas colunas atrás (leia aqui). Como sair dessa situação? Bom, o roteiro deve ser mais ou menos assim: 1) recuperar a confiança. 2) a bola começar a entrar (um pouquinho de sorte sempre ajuda). 3) planejamento sem pressão. 4) títulos. Parece fácil na teoria, na prática não é bem assim. Nos resta torcer para que o clube consiga reverter as coisas já a partir de domingo para que 2019 não seja mais um ano a ser esquecido pelo torcedor tricolor.

Mais espaço

Ainda sobre Lugano: recusou um convite para ser presidente da Federação Uruguaia para não abandonar o barco são paulino em um momento de crise. Além de caráter, tem demonstrado uma sensatez que parece ser artigo de luxo no ambiente do clube atualmente. Poderia ganhar mais protagonismo nas decisões do clube, penso que ajudaria.

Volta às origens

Emparedada, a diretoria tende a tomar decisões que, se o ambiente não fosse uma panela de pressão prestes a explodir, não tomaria. Serve para contratações, por exemplo. A torcida pressiona por Pato, que, ao que tudo indica, mesmo a contragosto de dirigentes e do novo técnico, acabará voltando ao clube para acalmar os ânimos. Eu gostaria que a direção tivesse pulso firme nesse momento e abrisse mão da blindagem de decisões populistas para fazer um planejamento vencedor para o São Paulo. Muita gente vai discordar, faz parte, mas eu optaria neste momento por uma lista de destaques em clubes menores do Paulista e até de outros estaduais, além de países vizinhos, para reforçar o time. Cuca fez isso em 2004, no exemplo mais famoso e mais vencedor, mas este sempre foi o DNA Tricolor.






Que venha o Paulista

Eu era um dos que preferia que o São Paulo tivesse ficado de fora da fase final do Paulista para “dar um reset” em 2019 e começar tudo outra vez, com Cuca, reforços e paz para trabalhar. Mas o Tricolor acabou classificando (pra variar, de forma constrangedora) e agora muitos acreditam que “começa um novo campeonato”. Mesmo meio desconfiado, torço para que uma boa vitória domingo aumente a confiança do time, que está abaixo do volume morto. Já ajudaria bastante para que, quem sabe, um milagre no Estadual ainda possa acontecer.


Rodrigo Braga. Tenho 40 anos, sou um paulista, paulistano e são-paulino radicado em Santa Catarina, onde há mais de 20 anos atuo como jornalista. Fui editor de esporte e participei de coberturas de Copa do Mundo, Jogos Pan-Americanos e outros eventos internacionais. Sou louco por futebol, mas, principalmente, sou louco pelo São Paulo Futebol Clube.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: