#ColunaAT – Muitas Perguntas e Poucas Respostas

A coluna Vamos falar de São Paulo é escrita pelo Bruno Godinho e será publicada semanalmente. Veja o índice da coluna.

Sou um simples torcedor e sei muito pouco sobre bastidores e política do São Paulo Futebol Clube.

Porém, muito do que acontece com o São Paulo nesses últimos anos causa certa estranheza. Não por menos, estamos há mais de 6 anos sem ganhar nenhum título.

Tenho várias perguntas para fazer aos diretores do São Paulo. E gostaria que aqueles que possuem qualquer tipo de contato lá dentro, ou mesmo que pertençam a algum meio de imprensa, me ajudassem a obter respostas.

– Porque o clube, desde 2013, intensificou o relacionamento e o volume de transações com determinados empresários, principalmente de jogadores já com idade avançada e de qualidade técnica duvidosa?

– Porque somos tão abertos na hora de comprar esses atletas, mas mais caridosos ainda na hora de nos desfazermos deles?

– Porque esses atletas, muitas vezes com diversos problemas clínicos, chegam ao São Paulo ganhando salários astronômicos, ficam um tempo pequeno e improdutivo, e depois saem, muitas vezes de graça ou por empréstimo, para outros clubes?

– Qual a dinâmica por trás do processo de contratação? Quem decide quem vem e quem vai? Qual o papel das pessoas que estão lá e foram contratadas para realizar um Scouting profissional e sem “amarras”?

– Quem e como são avaliados potenciais reforços do clube? Quais exames são realizados? Porque a enorme incidência de contratações de jogadores com problemas físicos recorrentes nos últimos anos?

– Qual o papel da diretoria de futebol em novas contratações? Não as óbvias, como Hernanes. Mas as duvidosas, como Everton Felipe?

– Qual o papel da comissão técnica na ida e vinda de jogadores? Quem dá a palavra final?

– Qual o papel da presidência do clube nos processos de contratação e cessão de jogadores? Como é composta a remuneração de agentes e dos envolvidos no processo?

– Porque o clube, que realiza péssimos negócios (pelo menos para o clube) com certos empresários há mais de 6 anos, continua realizando péssimos negócios (para o clube) com os esses mesmos empresários?

– Porque nossos principais talentos são vendidos a preço de banana quando comparadas a outras promessas, com cláusulas incomuns de revenda?

– Se todas as perguntas acima têm respostas aceitáveis, porque um clube do tamanho do São Paulo não consegue se acertar e manter um técnico por mais de 9 meses, em um ambiente produtivo, levando a equipe à briga por títulos.






– Se diversas das perguntas acima não puderem ser respondidas, porque nada se muda? Porque não temos uma oposição forte e atuante?

– E minha última e derradeira questão: porque ninguém, diante de um cenário no mínimo estranho e questionável, até hoje não veio a público questionar os mandatários do clube e suas práticas que são, no mínimo, improdutivas?

Quem puder ajudar, agradeço…


Bruno Godinho, 38 anos, administrador de empresas e cantor nas horas vagas, é um são-paulino convicto desde os Menudos do Morumbi. Fanático pelo Tricolor Paulista e por futebol, sempre gostou de escrever e falar sobre o assunto, sendo o representante da torcida Tricolor no Sala de Imprensa, da finada Bradesco Esportes FM.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: