#ColunaAT – Santo Arboleda

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Amigos tricolores.






O nosso São Paulo tem dado sorte com zagueiros pouco conhecidos da grande mídia. Alguém sabia quem era Lugano? E o Miranda? Um, raça, outro técnica pura! Agora conhecemos Arboleda! E que zagueiro! Acredito que tenha visto um ou dois jogos em que ele não foi bem, mas no geral, ele não vai bem! Ele é o melhor em campo. Contra o time da Lava Jato, claro, a Globo elegeu o mau caráter do Clayson como o melhor em campo. Quando ouvi, pensei “putz, estou vendo outro jogo, porque no meu, Arboleda, Bruno e Luan estão jogando muito mais que esse mau caráter!” Mas o que falar dessa emissora? Seu Ibope fala por nós!

Bruno Alves, é preciso dizer, tem feito uma excelente dupla. Esse era um pouco mais conhecido por ter jogado no Figueirense, mas que tem feito uma dupla com o Equatoriano que há muito não víamos!!! Arboleda chegou para substituir outro zagueiro que chegou sem muita mídia, foi bem no São Paulo, mas cometeu alguns erros que tiraram seu posto de ídolo da torcida, Maicon.

A chegada do Equatoriano

Em Junho de 2017, Arboleda chegou substituir Maicon, que havia acabado de ser negociado com o Galatasaray, da Turquia por R$ 25,7 milhões. O departamento de análise de desempenho pesquisou sobre o equatoriano e deu o aval para a contratação por R$ 6,6 milhões, junto ao Universidad Católica de Quito. Chegou com quase nenhum conhecimento do grande público, mas não precisou de muito tempo para cair nas graças da torcida!

Raça e talento

Quando chegou ao São Paulo, Arboleda era uma incógnita. A diretoria que o trouxe não estava sendo muito feliz nas contratações recentes. O Equador, país onde nasceu o zagueiro, não está entre as grandes potências do futebol mundial. Era um zagueiro, como disse, pouco conhecido do torcedor. Pontos suficientes para um certo reboliço nas Redes Sociais, porém ele precisou de poucos jogos para mostrar raça e talento dentro de campo. Jogou ao lado de alguns zagueiros até que o São Paulo trouxe Bruno Alves e juntos formam, hoje, uma das melhores – e arrisco dizer a melhor – dupla de defesa do país. Aliás, desde que ambos começaram a jogar juntos e se entrosaram, dentro de todos os problemas que o time tem, esse é o que menos da dor de cabeça a torcida! Hudson deu uma segurança na lateral, Volpi no gol. Luan na proteção do meio de campo e agora com um ataque mais poderoso, com Pato, Antony e Pablo, a defesa ficará ainda mais sólida! Vale lembrar que o futebol é coletivo.

Um vencedor

A vida do melhor zagueiro em atividade no Brasil, não foi fácil. Ao UOL, Arboleda, ou melhor, Arbolenda como a torcida carinhosamente o chama, ele contou partes da sua história, mas aqui, segue uma que me chamou muito a atenção “Se resolvi trabalhar escondido, foi para ajudar minha mãe, Laura Escobar. Ela e meu pai se separaram, então ajudá-la era uma motivação para mim. Eu queria ser alguém na vida por ela. Até fiz uma tatuagem para homenageá-la. Representa muito para mim. Já meu pai foi embora quando eu era bem menino. Tinha três ou quatro anos. E ele nunca voltou para casa. Foi embora com outra senhora, outra esposa, deixando minha mãe nos criando sozinha” hoje, aos 27 anos de idade, ele é ídolo em seu país e ídolo em um dos melhores times do mundo, o São Paulo. Esses casos de superação, deveriam inspirar o time inteiro, pois além dele ser um baita de um jogador, ele é um cara do bem e humilde. Infelizmente, não pude, ainda o conhecer, mas essa é a impressão que ele passa, até porque, em campo é raça pura!

Na janela, ele se vai?

Por mais que o São Paulo não tenha tido bons resultados nos últimos anos, o que deixa o time em menos evidência e consequentemente, menos assediado no mercado de fora do país, mas, os olheiros dos times, somado aos gananciosos empresários do futebol, o que está matando o esporte no Brasil, já estão correndo para vender o jogador e ganhar um bom dinheiro com isso. De fato, qualquer técnico que olhar alguns jogos do Arboleda vai se interessar pelo jogador.

E não tem como competir, o cara ganha aqui, 200, 300 mil, recebe uma proposta para jogar em um time na Europa para ganhar 3 ou 4 vezes mais, afinal, ganha-se em Euro. A qualidade de vida, a segurança, tudo isso pesa na cabeça do jogador que daqui alguns anos, se aposenta e pode fazer o que quiser da vida.

Recentemente, ele provocou um enorme reboliço nas Redes Sociais, com uma entrevista que deu para uma rádio de seu país. Segundo Arboleda, “teve cinco ou quatro times da Itália, Alemanha e Espanha interessados. Meus empresários estão cuidando disso com o clube. Espero sair pela porta da frente na metade do ano, sempre deixando tudo aqui. Se não, sou feliz no dia a dia com o São Paulo”, disse Arboleda em entrevista à radio equatoriana Mundo Deportivo.

Se se sair?

Sem a menor sombra de dúvida, dos últimos 20 anos, Arboleda está entre os 5 melhores zagueiros que o São Paulo teve, ao lado de Miranda, Lugano e André Dias. Digo dos últimos 20 anos, mas se pegar na história do São Paulo, deve estar entre os 10, ao lado de Roberto Dias, Oscar, Dario Pereyra, Márcio Santos, Ricardo Rocha e Antonio Carlos. A torcida tricolor, vai sentir muito a sua falta e não faltarão campanhas nas Redes Sociais com #ficaArbolenda como tema principal. E é merecido, pois, nesses últimos anos de paneleiros e pernas de pau no nosso tricolor, ele é um dos poucos que representa o manto!

E que venha o título domingo!


Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Comente com sua conta do Facebook: