São Paulo irá brigar por títulos com os novos reforços.
Foto: Fernando Nunes / saopaulofc.net

O São Paulo tem tudo para fazer uma excelente temporada neste ano. A equipe se reforçou muito bem e o planejamento demonstra uma diferenciação com relação aos anos anteriores, a começar pela apresentação das novas peças do elenco. O título conquistado no ano passado parece ser apenas o começo de um grande período do clube, que com certeza irá brigar por tudo em 2022.

Apesar de alguns torcedores contestarem o treinador em alguns momentos, no final do ano passado a equipe já se mostrou equilibrada suficientemente para colher os frutos neste novo período. Com a referência do ataque ainda afastada por lesão, ainda assim o time se mostra bastante forte, mesmo se considerando que rivais como o Corinthians possuem também muita qualidade e podem complicar.

Certamente, o torcedor são-paulino deve se mostrar bastante satisfeito com a diretoria. O esforço para fazer grandes contratações foi considerável e os nomes que chegaram são talvez as maiores contratações da história do clube. Não é exagero apontar que o São Paulo, nesta temporada, chega como favorito em qualquer competição que entrar em campo. Ao revés, chega a ser redundante opinar nesse sentido.

Estou falando, é claro, do time feminino do São Paulo, que tem tudo para ser uma potência em 2022. Com as chegadas de Pardal, Cacau, Michelle, Fê Palermo, Mimi, Maglia, Sashá e Rafa Travalão, além das manutenções de Micaelly, Formiga, Maressa, Alves e sua referência de ataque – afastada por lesão – Glaucia, pode-se dizer, sem dúvidas, que o Tricolor montou um grande time. Se não para ganhar, chega o São Paulo para se protagonista e incomodar ao longo de 2022.

Na temporada passada, o time conquistou a Brasil Ladies Cup e chegou à final do Paulistão, em que chegou a vencer o primeiro jogo por 1×0 – com um golaço de Mica.

Um abismo se formos comparar com o time de Ceni, que não cria nenhuma expectativa empolgante até mesmo para o mais otimista dos torcedores.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Post anteriorCeni aponta um problema no São Paulo: a estatura
Próximo PostContra o Guarani, defesa reteve mais a bola que outros setores
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.