Dois tempos – A torcida mais chata do mundo

Dois tempos é a coluna do Mário Pravato, publicada no Arquibancada Tricolor desde 2017, abordando tudo sobre o Tricolor Paulista.

Pré-jogo

Tanto o título como o tema desta coluna haviam sido escolhidos assim que o Tricolor conquistou o tetracampeonato da Copinha na última sexta-feira, e confesso que não imaginava que os dois seriam muito mais aplicáveis após o clássico do domingo.

Primeiro tempo

A capa desta coluna é a maior prova de como a nossa torcida é insuportável. Esse comentário foi feito nas redes sociais do AT, logo após o empate do Tricolor com a Ferroviária pela Copinha, quando na ocasião o São Paulo ficou atrás da Ferroviária por conta do saldo de gols. Menos de duas semanas depois, o Tricolor ergueu o tetracampeonato da competição de forma impecável, invicto e com o artilheiro e craque do torneio. E a Ferroviária? Foi eliminada pelo mesmo São Paulo na sequência.

A paciência do torcedor são-paulino inexiste. O torcedor comum, aquele que consome a TV Aberta, que lê os jornais e cai na pilha da grande mídia, acredita que o time será campeão da noite para o dia, que os mais de 6 anos sem títulos são uma obra do acaso e que o campeão voltará em breve, pois é soberano e a estrutura do São Paulo ganha jogo.

Fiz uma brincadeira em meu Twitter nesta semana, imagina esse tipo de torcedor nos EUA, torcendo por exemplo para o Chicago Bulls, time qual torço na NBA. Para quem não sabe, os Bulls após a aposentadoria de Michael Jordan, nunca mais fez a final da NBA, tendo o seu melhor campeonato na temporada 2010/2011, onde disputou a final da conferência leste contra o Miami Heat de Lebron James. São anos e mais anos do famoso rebuild, processo o qual os dirigentes perdem temporadas de propósito em busca de novos jogadores via draft (escolha dos jogadores vindo das universidades) e de alívio nas folhas salariais, em busca dos grandes talentos que ficarão sem contrato (igual ocorreu agora com o Lakers trazendo o Lebron).

Novamente sou obrigado a falar disso, mas confesso que está ficando chato: o São Paulo perdeu duas ou três oportunidades de ter um ano de reconstrução, de fortalecimento do padrão de jogo e de utilização mais expressiva da base. Na minha opinião a última vez foi em 2017, com Rogério Ceni no comando. Técnico novo na carreira, elenco muito modificado, não era a hora da diretoria vir a público e anunciar que aquele ano seria o da reconstrução? Ao invés disso, entraram na pilha do rebaixamento, contrataram jogadores de baciada e de qualidade duvidosa, deram um pé na bunda do maior ídolo do clube e graças ao Profeta Hernanes, escapamos do rebaixamento.

Escapar do rebaixamento ultimamente é só o que o São Paulo FC sabe fazer. Não caindo é o que importa, dane-se o plano de jogo, o elenco e a história vencedora do clube. Para grande parte da torcida, o importante é cantar “nunca fui rebaixado”, do que voltar a cantar “é campeão”.

Segundo Tempo

Voltando ao tema da coluna, a nossa torcida não tem paciência e não quer esperar pelo trabalho. Não me esqueço que muitos pediam Jardine quando Dorival começava a patinar no começo do ano passado e depois os mesmos voltaram a pedir o jovem técnico quando Aguirre jogava o título brasileiro no lixo.

Adivinha quem pede a cabeça de Jardine agora, com apenas 3 jogos da temporada? Pois é…

Eu também quero ser campeão, eu também quero ter orgulho do time atual e ter prazer em ligar a TV para ver o time jogar um futebol vistoso, mas da forma como vocês estão cobrando as coisas, isso nunca mais irá acontecer.

Não existe recompensa sem trabalho, ninguém é campeão no futebol trocando técnico a cada 6 meses. Parem com essa mania de pedir Luxemburgo (sim, eu mesmo já pedi esse nome muitas vezes), de pedir Abel Braga, como se ele fosse o Guardiola brasileiro.

As cobranças em cima de Tiago Volpi e Pablo são uma das coisas mais nojentas que estão acontecendo, os caras acabaram de chegar, ainda estão em processo de adaptação, seja à cidade ou ao clube (no caso de Volpi, readaptação ao futebol brasileiro).

Por fim, vocês dirão: se deixar como está, novamente perderemos tudo e blá blá blá e mimimi. Pessoal, deem um prazo factível a este São Paulo, o meu foi dado, são os confrontos contra o Talleres. Não me importo se vamos ganhar do Guarani de 1 a 0 ou se vamos poupar todo mundo contra o São Bento e tomar de 5 a 0 do time de Sorocaba, o que importa neste momento é conseguir terminar a pré-temporada com ela já em andamento… Ou seja, mais uma vez estamos trocando a roda com o carro andando!

Prorrogação

Jardine tem culpa no cartório? Tem. Todo mundo sabe que Jucilei e Hudson são uma dupla de pouca movimentação, mas com certeza eles foram escalados por algum propósito. Se Jardine realmente for inteligente como demonstra, evitará esse tipo de erro novamente, ainda mais quando o Tricolor precisar reverter algum resultado e precisará de um time mais leve em campo, porém tenho visto pessoas falando muita besteira nas redes sociais, inclusive fazendo pouco caso de Jardine. Vocês sabiam que ele, junto com Júnior Chávare, Orlando Ribeiro e Rafael Paiva são os grandes construtores dessa máquina de ganhar títulos que é o CFA de Cotia? Pois é, não é só o Juvenal Juvêncio o responsável por Cotia…

Mário Pravato Junior

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: