Dorival e o esquema com 3 zagueiros

Será que Dorival não pensa em utilizar 3 zagueiros no Tricolor?

Sou um grande entusiasta de esquemas táticos que utilizam 3 zagueiros, ao invés dos 4 tradicionais (2 zagueiros e 2 laterais). Isso é herança da nossa época de ouro, entre 2005 a 2008, quando fomos campeões Paulista, da Libertadores, Mundial e Tri Brasileiro com este esquema.






Não bastasse os nossos títulos, tenho grandes lembranças de jogos onde Pep Guardiola abandonou o clássico 4-3-3 para buscar um resultado com 3 zagueiros no Barcelona. E ele sempre conseguia. Outro técnico que emprega o esquema com 3 zagueiros com perfeição é Jorge Sampaoli, atual técnico da Seleção Argentina. Quando o técnico conquistou a Copa Sul-Americana de 2011 no comando da Universidad de Chile, seu time atacava com um esquema 3-2-3-2, como mostra o desenho tático do excelente Imortais do Futebol:

Confesso a vocês que quando jogava videogame, também preferia jogar com 3 zagueiros e, assim, abandonando os laterais e utilizando pontas. Mas o futebol real é bem diferente do futebol virtual

Antes de Dorival chegar ao Tricolor, tínhamos tido alguns jogos na temporada sob o comando de Rogério Ceni com 3 zagueiros, mas ainda não podíamos afirmar com clareza se esse era o esquema padrão do time, apesar que Rogério havia despendido bastante tempo na pré-temporada treinando desta forma.

Quando Dorival chegou ao Tricolor, conversei com alguns amigos santistas se o mesmo já havia utilizado tal esquema no Santos, ou se pelo menos já havia se mostrado favorável aos três zagueiros. Como a resposta foi negativa, fui atrás de reportagens antigas sobre o técnico e encontrei algumas coisas, vamos lá:

  • Em 2010 no Santos, Dorival não descartava a possibilidade de jogar com três zagueiros: “A possibilidade existe, em razão do pouco período de treinamento (na pré-temporada). E dentro da necessidade que tínhamos, são quatro jogadores (os defensores contratados) que já tem um certo caminho percorrido. Dois ou três deles estão surgindo bem“.
  • Em 2011, Dorival escalou o time com três zagueiros quando dirigia o Atlético-MG na derrota para o Palmeiras. Ele elogiou o esquema tático, porém ressaltou: “Isso eu concordo, a partir do momento que você opte por uma formação com três zagueiros é natural que você tenha prejudicada a sua transição, a sua posse de bola. Você fica limitado a criação de um ou outro atleta, e sem assistência dos dois meias”;
  • Em 2013 no Vasco da Gama, Dorival pretendia utilizar o esquema com três zagueiros e dois volantes para evitar que o time continuasse sofrendo gols, já que vinha de duas derrotas consecutivas e lutava contra o rebaixamento (no fim o Vasco foi rebaixado). Na época Dorival ainda estava em busca do time ideal.
  • No final de 2016 o assunto voltou à tona no Santos, mas desta vez melhor preparado por Dorival. O técnico mostrou o seu desejo por trabalhar com 5 na defesa, porém a zaga contaria apenas com 1 zagueiro de ofício e 2 volantes, além dos dois alas. Essa história ficou viva na mídia até a metade de janeiro, conforme esta matéria do Terra. Confesso que não encontrei mais referência se isto foi para frente ou não.

Voltando a nossa realidade

Essa última ideia tática me pareceu bem bacana. Com a posse de bola teríamos apenas um zagueiro lá atrás, enquanto que os dois volantes se posicionariam à sua frente, trazendo superioridade numérica no meio de campo e ajudando na saída de bola. Quando o time fosse atacado, teríamos os 3 zagueiros e os alas se alinhariam aos volantes, formando uma linha de 4 à frente (ou os alas poderiam formar uma linha de 5 na defesa, vai ao gosto de cada um).

Rabisquei o seguinte time, utilizando os jogadores do nosso elenco. Só peço para que não me xinguem, é apenas um esboço e com certeza dá para fazer melhor com estudos e treinos (não sou treinador….):

Ideia para três zagueiros

Explicando rapidamente: não foquem nos nomes, mas sim nas posições. Quando o Tricolor atacar, R. Caio e Militão passariam para a linha de Jucilei e Petros e estes subiriam para o ataque, juntamente com os alas e com Cueva. Em caso de perda da bola, eles retornam para a defesa junto à Arboleda, enquanto que Reinaldo e Marcos Guilherme ajudariam na recomposição junto aos volantes (ou até mesmo com os zagueiros).

Dorival Junior está com a corda no pescoço. Seu 4-1-4-1 falhou em 2017 e em 2018 não tivemos nenhum sucesso, seja com 4-2-3-1, 4-2-1-3, 4-3-3 ou 4-4-2. Será que não custaria muito tentar algo diferente, conforme o próprio treinador já ensaiou no começo do ano passado no Santos?

Nossa última época de ouro foi utilizando o 3-5-2, mas claramente aquele esquema não cabe mais no futebol atual. Acredito que muitas pessoas irão questionar quem joga com três zagueiros atualmente, então recomendo a leitura desta matéria do Thiago Quintella de agosto do ano passado.

Fica a dica Dorival, vai que dá certo…

Comente com sua conta do Facebook: