Espaço do Torcedor – O São Paulo não é para amadores!

Espaço do Torcedor é a coluna quase que diária do Arquibancada Tricolor, que dá voz a todos os torcedores da arquibancada. Quer ver seu texto publicado aqui? Mande uma mensagem para nós!

Salve, torcida do mais importante clube tricolor! O que acontece com o nosso time? Difícil de entender, nem me atrevo a tentar explicar. Mas podemos elucubrar algumas possibilidades:

O início de ano, as contratações, os primeiros jogos no Paulistão foram relativamente bons, o time teve, ao meu ver, boas atuações, o Jardine esboçava um time diferente, mais leve, propositivo, agressivo, enfim… após a derrota para o Santos o time virou o fio. E virou por quê?

Porque definitivamente o SPFC não é para amadores! Não é para qualquer um, ao menos não nesse estágio! Não digo isso (qualquer um) no sentido de desqualificar ou questionar a capacidade de quem joga, dirige, treina o time, mas no sentido de não ser suficiente apenas ser bom no que faz, precisa mais, precisa ter muita personalidade.

PERSONALIDADE: tudo o que não temos visto em nenhum dos escalões do tricolor. Leco é o primeiro a ceder a qualquer burburinho de imprensa/torcida/conselheiros, sabe lá a que pretexto, mas não tem convicção de nada; contrata, demite, sem o menor critério, e por isso qualquer caminho serve, e esse comportamento é o adotado por mimetismo pelo corpo diretivo e comissão técnica.

Jardine, uma decepção! Treinador promissor, vitorioso nas categorias de base, estudioso, disposto a implantar um estilo de jogo diferente… SUCUMBIU e será descartado em algum momento.

A estreia na Taça Libertadores da América mostrou com clareza que sucumbiu. Após uma reunião em tom de cobrança, nosso comandante decidiu jogar por terra tudo o que pretendia, e tentou retornar com um time mais pragmático, ao estilo Aguirre, erro fatal!

O Jardine montando um time pragmático é um fracasso, a começar que nem o próprio acredita naquilo que levou a campo, e nisso, por ironia estava certo, mas SUCUMBIU, preferiu morrer com os medalhões a ousar com a molecada em quem acredita; mesmo quando mexeu no time, persistiu na convicção que nem ele tem, mas se mostrava mais conservadora, mais confortável por que de menor responsabilidade. Libertadores é jogo de marmanjos, né? Nós vimos…

Os jogadores nem se fala… mais uma atuação daquelas que estamos cansados em ver, um time assustado, temeroso, titubeante, perdido a exemplo daqueles recentes que nos proporcionaram vexames homéricos. Vale lembrar que fomos eliminados nos últimos anos por “esquadrões” da Penapolense, Juventude, Audax, Defensa y Justicia, Colón, etc.






O SPFC nesse momento é um caso à parte. Não acho nossos jogadores horrorosos, por isso que vários dão certo longe do Morumbi. Mas atualmente, não basta ser um bom goleiro, um bom zagueiro, lateral, meia ou atacante para vingar… tem que ser bom e de muita personalidade, mas muita mesmo!

A pressão no tricolor é gigante, a torcida está saturada de fracassos, de time que se abate, se acovarda, sucumbe, que não se vê capaz de vencer, de reverter… de jogadores que não sabem o significado de TIME DA FÉ! Que não sabem que para o SPFC nunca teve o impossível… no Morumbi a moeda cai em pé!

Mas como disse o exemplo deveria vir de cima: diretoria, treinador e atletas; nessa ordem. Não temos muitos atletas de personalidade? Não, mas quando o problema realmente for no campo podemos culpar o Bruno Peres, o Jucilei, o Diego Souza, etc.

O campo é o reflexo do amadorismo, da falta de convicção e personalidade que permeia a direção e vestiários do SPFC. O tricolor não é para amadores, precisam ser avisados!


Rodrigo Vilela Freitas. São-paulino, de São Paulo/SP, tricolor de coração, família e alma, há pelo menos 29 anos, e nas horas vagas advogado e não menos apaixonado.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Comente com sua conta do Facebook:
Você já conhece a Loja do Arquibancada? Modelos exclusivos para você mostrar o seu amor pelo Tricolor!