Fernando Diniz não é o problema, tampouco o treinador que precisamos

Caros Tricolores, Tri-Campeões Mundiais. O São Paulo sofreu sua segunda derrota consecutiva no Morumbi ao perder por 1 a 0 para o Athletico-PR no último domingo (10). Curiosamente, a outra derrota foi para o Fluminense por 2 a 0, outro ex-clube de Fernando Diniz.

Atrelar os resultados ao técnico não é errado, mas dizermos que ele é o ÚNICO problema, é. Diniz faz o que pode, usa todos os jogadores, dá chance a quem estava preterido pelo treinador anterior, mas as coisas não fluem. Ou seja, ele faz o que pode, mas não está sendo o suficiente, pois o que ele pode é pouco para nós.

Visto isso, sabemos que a grande porcentagem dos problemas vai pra conta da parte alta da nossa hierarquia, a diretoria. Leco, derrotado como sempre, somado a Raí, que vem se demonstrando um bom negociador, mas um mal diretor, estão levando o São Paulo a um processo de “Portuguetização”, se é que me entendem. Lentamente o São Paulo ruma para um período ainda mais tenebroso e escaldante para o torcedor.

Mas ainda sobre Fernando Diniz, ele não tem o aporte que precisamos. Não é aquele cara de pulso firme, que sabe cobrar jogadores de alto escalão. Além disso, creio que lhe falta currículo digno para estar aqui, não o desmerecendo, afinal, ele ainda está em início de carreira como treinador e tem muito futuro. No entanto, esta não é a hora para Diniz estar no SPFC.

O momento mais propício seria uma eventual substituição de treinador, após o seu antecessor sair por méritos para um clube do exterior ou alguma seleção, não entrando no lugar de um técnico demitido no meio da temporada e com o clube a anos sem títulos.

Diniz obviamente precisa de tempo para trabalhar, é fato. O problema é que o São Paulo não tem esse tempo. Hoje, compensa e muito demitir Fernando Diniz, pensar num projeto ousado para 2020 e torcer para que Leco honre seu mandato no ano derradeiro, porque até agora, é só lamentação atrás de lamentação.

Por Igor Martinez

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site.






Comente com sua conta do Facebook: