Luxa no São Paulo?

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Amigos tricolores.






Eu tenho certeza, que esse artigo terá comentários do tipo “parei no Luxa no São Paulo” e tudo bem com relação a isso, até porque o brasileiro é Ph.D em “comentário de titulo de artigo”, entretanto o artigo dessa semana é para provocar uma reflexão. Infelizmente, não tenho poder de contratar técnico para o São Paulo e não será esse artigo que fará alguma mudança no time, até porque, se a voz da torcida fosse ouvida, muita coisa no São Paulo estaria diferente, assim como, esse artigo não tem a menor intenção de criticar, ou mesmo elogiar, o trabalho do Fernando Diniz, ele seria escrito sendo qualquer outro técnico comandando o nosso São Paulo.

Vasco 4 X 4 Flamengo

O debate na semana passada sobre o “Profexô” começou depois do grande jogo entre Flamengo e Vasco, que acabou empatado. O Flamengo é o melhor time do Brasil. Se amanhã será campeão da Libertadores, outra história, teoricamente, há 50% de chance para cada lado. O Vasco, há tempos, é um time que caiu muito e não representa a sua história de glórias. Luxa conseguiu jogar de igual para igual com o melhor time do Brasil, tirando leite de pedra, uma vez que o elenco do Vasco está longe de representar sua história. Para quem teve como ídolo Roberto Dinamite, Edmundo e Romário, hoje, idolatrar Yago Pikachu é quase a mesma coisa da torcida de PlayStation do tricolor idolatrando Reinaldo.

Por que Luxa nunca veio?

O debate em torno do nome do técnico tomou conta de grupos de WhatsApp e Facebook. De fato, o São Paulo é um dos poucos times grandes que ele nunca dirigiu. Ele comandou 3, dos 4 times grandes de São Paulo, comandou os 2 de Minas, comandou 3 dos 4 grandes do Rio e comandou o Grêmio. Botafogo, São Paulo e Internacional nunca foram comandados pelo técnico. Luxa tem uma rejeição enorme dentro do São Paulo, mas há de se lembrar que Telê, em 1990 também tinha, pois a sua fama de “Pé Frio” dificultava a sua chegada no tricolor. Coube a Carlos Caboclo convencer Telê, e os que rejeitavam, a deixar o mestre chegar. Nessa época, o único técnico que rivalizava com Telê, era Luxa, um estrategista, algo que Telê nunca foi.

E se viesse?

De novo, independente do Diniz no comando, e se Luxa viesse? Muitos dizem que ele está ultrapassado, que “perdeu a mão”, não discordo, mas vamos analisar um ponto. Luxa tem história e conhecimento, ninguém “desaprende”. Luxa é um multicampeão, com muitos títulos pelo Flamengo, Sport, Corinthians, Santos, Cruzeiro, Palmeiras e Bragantino. Está fazendo um milagre com o Vasco, que pelo time estaria brigando para não cair, entretanto, pode arte brigar por Libertadores, uma vez, que no momento que escrevo esse artigo ele está a 7 pontos da zona de classificação.

Ai fica a dúvida.

Depois de 2008, nosso último titulo de expressão, tivemos 16 técnicos no comando do São Paulo, incluindo a volta de Muricy em 2013. Milton Cruz, Ricardo Gomes (3 vezes), Carpegiani, Adilson Batista, Emerson Leão, Ney Franco, Paulo Autuori, Osorio, Doriva, Bauza, Rogério Ceni, Dorival Jr, Aguirre, Jardine, Cuca e agora Fernando Diniz. Isso sem contar os momentos interinos de Milton Cruz, Sérgio Baresi, Pintado e Wagner Mancini, o que daria 20 técnicos em 11 anos. Fica aqui a reflexão para vocês: Luxa é realmente inferior a todos esses?

Para mim, ele é melhor do que praticamente todos! Colocaria, no momento atual, Osório e Bauza no mesmo patamar. Rogério Ceni, não conta, pois não era técnico quando começou no São Paulo, mas melhor que Ricardo Gomes, que treinou o São Paulo 3 vezes nesses 11 anos, Adilson Batista, Doriva, Ney, Leão, Carpegiani, Diniz, isso, sem dúvida ele é!

Aguirre foi o último a fazer um excelente trabalho a frente do São Paulo, assim como Bauza. Um nos colocou na liderança do Brasileiro, outro na semi final da Libertadores. Osório tinha um potencial enorme de fazer diferente.

Seu passado recente de poucos títulos e muitas polêmicas mancharam a carreira do “Profexô”. Quer a realidade? Eu daria sim uma chance a ele em 2020!


Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Alexandre Schneider/Getty Images

Comente com sua conta do Facebook: