O ano de 2020 já está perdido, então por que não Luxemburgo?

Dois tempos é a coluna semanal do Mário Pravato, publicada normalmente às quartas. São dois assuntos diferentes e às vezes pode acontecer uma prorrogação e até mesmo uma disputa por pênaltis! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Sim leitor, você não leu errado: o ano de 2020 já está perdido, antes mesmo de começar.

Não existe otimismo para 2020

Com Leco, os 240 Conselheiros, a Diretoria de Futebol, a Comissão Técnica e este Elenco, não há como ter qualquer otimismo para o próximo ano.

O primeiro desejo é que este time não se classifique para a Libertadores. Imagina passar dois anos seguidos sendo eliminados na Pré-Libertadores?

Depois passaremos vergonha no Paulista, perderemos a Copa do Brasil logo no começo e novamente faremos um Brasileirão de altos e baixos, enganando a torcida e entregando os pontos no final da temporada…

Novas contratações de peso?

Certeza que Leco inventará mais alguma contratação de peso para ludibriar a torcida, ainda mais em um ano eleitoral. Trará mais um jogador podre, que passará alguns meses no REFFIS, enquanto o time passa vergonha com os jovens que terão feito mais uma Copinha fantástica, talvez sendo bicampeões. Pelo menos poderemos gritar “campeão” uma vez no ano….

Diniz, Osório, Sampaoli?

Diniz é fraquinho. Pelo jeito não deve ser respeitado pelos jogadores, sei lá. Foi uma aposta da diretoria para um final de temporada melancólico e eu acho que ele deve cair antes do final do campeonato…

Falam em Osório. Se eu fosse o colombiano, jamais voltaria, principalmente com essa diretoria nefasta. Vale mais a pena seguir no Atlético Nacional.

Sampaoli? Meu sonho há quase 10 anos! Mas vocês acham que ele largará o Santos na Libertadores para assumir uma bucha? Eu gostaria e muito, principalmente se ele ganhasse carta branca para mexer em tudo!

Então, por que não Luxemburgo?

Desculpem o palavrão, mas na boa, tá tudo cagado, então porque não Luxemburgo?

Para quem já inventou Doriva, ressuscitou Leão e Ricardo Gomes, apostou em Baresi, Jardine e Rogério Ceni, Luxeburgo seria apenas mais um nome entre tantos outros fracassos…






Vale lembrar o que foi dito pelo treinador em 2016: “Eu acho que tenho que dirigir o São Paulo. Se não der jeito, tudo bem, mas um profissional da minha qualidade tem que passar pelo São Paulo”.

Luxemburgo está tirando leite de pedra no Vasco, um time todo endividado que se cair para a Série B, não volta mais.

Sem puxação de saco, mas nos últimos 30 anos no futebol brasileiro, apenas dois técnicos mudaram o nosso futebol para valer: um deles chama-se Telê Santana, que dispensa apresentações. E o outro chama-se Vanderlei Luxemburgo. Felipão, Tite e outros cabeças-de-bagre não trouxeram nenhuma inovação para o nosso futebol. Não gostam do jogo ofensivo, fora que o técnico da CBF tem jogado em outra praia atualmente, com suas convocações bizarras (nunca conseguiremos explicar Taison sendo convocado para uma Copa do Mundo).

Com o cenário apocalíptico para 2020, ano que marcará a enfim despedida do Sr. Leco, não vejo nome melhor para tocar essa barca furada do quê o Luxa!

Vem Pofexô!


Mário Pravato Junior

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Alexandre Schneider

Comente com sua conta do Facebook: