O que esperar de Fernando Diniz?

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Amigos tricolores.

Não tem a menor chance de fazer qualquer diagnóstico de Fernando Diniz esse ano. Um técnico precisa de pelo menos, 3 meses, para mostrar resultado. Antes disso não tem nem por onde começar a analisar, porém, o que podemos prever – e ai um baita exercício de futurismo – é baseado em seu histórico como será o seu futuro. Em planejamento de vendas, fazemos isso com grande frequência.

Diniz não é, nem de longe, a primeira opção da torcida. O lado bom é que Felipão, que muitos pediram nas Redes Sociais, não veio, mas ai, falar o que da torcida PlayStation? Enfim, Diniz não estaria no Top 10 dos técnicos desejados pela torcida, ao menos, no meu eu nem questionaria, mas ele está ai. No momento em que eu escrevo esse artigo, ele está no CT trabalhando. Dizem que ele foi uma pedida dos jogadores, Dani Alvez disse que foi sim consultado e que deu o seu aval assim como outros. Eu não acho nenhum problema os mais experientes e lideres serem questionados sobre uma decisão importante, mas se de fato, ele fez motim para cair o Cuca e trazer o Diniz, está errado, porém, como Muricy diz “a torcida não sabe 10% do que ocorre dentro do futebol…”. Prefiro acreditar nas palavras do Daniel Alves do que de Sormani, Flávio Gomes, Flávio Prado, Benja, Nicola entre outos pseudo-jornalistas.

Diniz, seu passado te condena

De fato, no Audax, Diniz imprimiu um estilo de futebol moderno que encantou muita gente, mas quando ele foi tentar isso em times de maior expressão como o Athletico e o Fluminense, a coisa não foi tão boa, basta ver o Fluminense beirando a zona do rebaixamento. Não é nenhum Barcelona, mas tem time para estar entre os 10 primeiros do campeonato, não entre os 5 últimos. Eu tenho a tese de que jogador brasileiro é mimado e burro, por isso, novidades no futebol nem sempre dão certo. Se culpa os técnicos ultrapassados, mas esquecem que as vezes eles tentam algo diferente, mas os mimadinhos-burros não se dão ao trabalho de evoluir e o futebol brasileiro fica nesse 7 a 1 para a Alemanha. Por isso, a maioria dos jogadores que saem do país não se dão bem no futebol europeu, principalmente nos grandes times. Casemiro e Marcelo no Real Madrid, são exceção, assim como David Neres. Neymarketing, bom, esse deixou de ser jogador para ser celebridade há tempos!

Futebol para frente

Espero que o Diniz traga isso. Escrevi recentemente sobre mesclar os experientes e a base de Cotia, é um jeito de ter um futebol mais solto, mais leve. Espero que ele não faça Antony marcar lateral, deixando isso para o Juanfran, assim como não faça com que Luan arme o jogo. Espero que Tchê-Tchê seja banco, pois atrasa muito o time com seus erros de passe, dando espaço para Igor Gomes, mais jovem, dinâmico e interessado no jogo! Que se acabe com esse maldito 4-3-2-1 e volte ao bom e velho 4-4-2. com Luan, Hernanes, Daniel Alves e Igor Gomes no meio, tendo Pato e Pablo no ataque. A defesa com JuanFran, Arboleda, Bruno Alves e Cosplay do Tiririca vai bem.  E por fim, compra logo o Volpi!







Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: