O que o Grêmio campeão da Libertadores tem para nos ensinar?

Por Mário Pravato Junior – Redação Arquibancada Tricolor

Prometo que a coluna de hoje não será tão longa como a última (e que foi merecida).

AFP PHOTO / JUAN MABROMATA

O Grêmio campeão da Libertadores 2017 (e com méritos) é um misto de refugos, com crias da base, com jogadores desconhecidos, com alguns gringos e principalmente: treinados por um técnico falastrão, que sabe falar o idioma dos jogadores.

Existe definição melhor para isso?

Busquei aqui a lista final dos inscritos do Grêmio na Libertadores e separei os jogadores nos seguintes ‘times’:

Jogadores da base: Marcelo Grohe, Luan, Everton, Rafael Thyere, Ramiro, Léo (goleiro), Jailson, Arthur e Kaio.
Refugos*: Edílson, Marcelo Oliveira, Bruno Cortez, Léo Moura, Maicon, Cristian, Douglas, Cícero, Fernandinho e Jael.
Desconhecidos: Bruno Grassi, Leonardo (lateral), Michel e Beto da Silva
Gringos: Kannemann, Michel Arroyo e Barrios.
Conhecidos:  Paulo Victor, Geromel, Bressan e Bruno Rodrigo.

Percebam que em negrito estão todos os titulares da partida decisiva contra o Lanús.

O que eu quero mostrar com essa separação? O Grêmio conquistou o Tricampeonato da Libertadores depois de 22 anos com um elenco sem estrelas e sem nenhum jogador de nome! Ou vocês vão me dizer que Fernandinho e Edílson são jogadores de peso?

Estamos falando de um time que em 2016 completava 15 anos sem títulos nacionais, que disputou a Série B em 2005, que foi vice-campeão da Libertadores 2007 e que fez boa campanha em 2009, caindo nas semifinais. Um time que apostou na sua base e que escolheu o seu grande ídolo do passado para tentar resgatar as glórias.

E qual a relação disso tudo com o nosso Tricolor Paulista?

Pois bem, estamos vendo torcedores indo até o Centro de Treinamento cobrar a contratação de jogadores de nome, que com certeza são caríssimos. Será que agora não é o momento de abraçar um projeto de longo prazo, definindo uma espinha dorsal, apostando na base e em jogadores de menos nome?

Bom, deixo o título do Grêmio como sendo a minha resposta.

* O que significa refugo para mim: Jogador com passagem por diversos clubes, alguns grandes e que nunca fixou raízes em nenhum deles. Novamente, é uma classificação pessoal.

Comente com sua conta do Facebook: