O São Paulo não precisa de reforços…

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Amigos tricolores.

Digo isso baseado em termos os reforços dentro de casa. E explico aqui nesse artigo. A grande culpa de Raí e Pássaro não “irem as compras” é que nos últimos 2 anos foram exorbitantes os gastos com jogadores que nem de longe poderiam vestir a camisa do São Paulo: Mena, Kelvin, Ytalo, Douglas, Robson, Jean Carlos, Sidão, Wellington Nem, Neilton, Maicosuel, Jonatan Goméz, Aderllan, Edimar, Valdivia, Régis, Carneiro, Bruno Peres, Léo Pelé, Willian Faria, Biro Biro, Calazans e Raniel. Pode ter certeza que entre contrações, salários e prêmios esse “timaço” saiu para mais de 80 milhões de reais entre 2016 e 2019.

Voltas de emprestados

O São Paulo tem algumas voltas de jogadores que estavam emprestados como Shaylon, Brenner, Jonatan Goméz e Gabriel Novaes, que na Copinha de 2019 mostrou ter um enorme potencial, é jovem ainda, precisa amadurecer um pouco mais. As jóias da base precisam de mais paciência da torcida, pois muitos já mostraram que o potencial da Copinha se fez presente no time de cima, como Antony, Luan, Liziero e Igor Gomes. Isso sem contar em David Neres que pena ter ficado tão pouco no tricolor!

Mas porque os reforços estão em casa?

A minha tese é simples. Pato, Pablo, Everton e Hernanes são os pilares dessa tese. Eles chegaram ao São Paulo e não jogaram o que sabem e podem. Contusões e problemas familiares extra-campo os atrapalharam. Focados, e em forma, eles são os grandes reforços do tricolor para 2020, Daniel Alves, focado em campo, tem tudo para ajudar. Já temos só nesses uma base forte para títulos, são jogadores de muita qualidade.

Mantivemos quem foi muito bem ano passado: Thiago Volpi, Bruno Alves e Vitor Bueno. A base foi mais aproveitada com Igor, Antony, Luan e Liziero. Arboleda, errou feio, mas vamos deixar isso de lado, todos erram e a grande virtude de um homem e reconhecer, ele o fez e Diniz tem razão, em campo ele vai provar seu valor, até porque é um excelente jogador, comprometido e que honra sim o manto tricolor!

Hudson foi para o Fluminense, e que seja feliz por lá. Jucilei deve voltar ao mundo árabe e que também seja feliz por lá. Raniel se foi, Calazans deve ser o próximo a ir. Fabinho foi integrado ao time titular, outra joia da base. Diniz permaneceu, não é o técnico dos sonhos, mas pelos menos a filosofia do ano passado foi mantida. Se isso é bom ou não, só o tempo dirá, o passado diz que não, apesar dos bons (leu direito, bons e não excelentes) números que Diniz tem no comando do São Paulo.

Enfim, posso estar sendo muito romântico, o Campeonato Paulista está chegando e será nosso primeiro grande desafio, onde veremos se realmente poderemos contar com um time competitivo, que sempre defendo, no papel temos: Um grande goleiro, ótima dupla defensiva, melhor lateral direito do mundo, por inúmeras vezes, meias como Igor e Hernanes, atacantes como Antony, Pato e Pablo.

No papel, está tudo lindo, mas em campo, os nomes precisam dar lugar ao talento que tem. Repito, se todos estiverem bem fisicamente, focados e atuando o que sabem, esse ano promete ser diferente para nós. Só depende de Daniel Alves, Pato, Pablo, Arboleda, Bruno, Hernanes e Antony.


Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: