Raí, o Rei da década!

Por Leandro Oliveira.

Salve, nação tricolor! E vamos com a saga de jogos históricos contra o nosso próximo adversário. Desta vez, teremos o Santos, no Pacaembu, e uma vitória nos colocará bem próximo de nosso principal objetivo no momento, escapar da série B.

Mas num passado não muito distante, o Santos foi nosso rival nas finais do Paulistão de 2000, e saímos vitoriosos, fechando a década de 90 com 4 títulos: 91, 92 e 98 foram os outros. Deixamos para trás Palmeiras e Corinthians, com 3 cada um. O Santos estava na fila desde 84. Fato curioso foi a presença de Raí em todos estes títulos, tendo saído em junho de 93, após o título da Libertadores. A despedida também foi contra o Santos, 6×1 no Morumbi). Na volta, em 98, justamente no jogo final contra o Corinthians, abriu o marcador e fechou com assistência para França.

Falaremos então, dos dois jogos das finais de 2000.

JOGO 1

Por ter melhor campanha ao longo do campeonato, o São Paulo iniciou as finais com a vantagem de jogar por dois resultados iguais. Vantagem que aumentou logo a 1 minuto de jogo, quando Marcelinho Paraíba tabelou com Raí e passou pra França na entrada da área. Ele dominou e bateu rápido, de bico (sou fã do chute de bico…rs), sem chance para Carlos Germano.

Depois do gol, o Santos foi até mais perigoso, mas esbarrou em grande atuação de Rogério. O São Paulo também chegou em alguns contra-ataques, mas o placar seguiu inalterado até o fim. A vantagem tricolor, que já era grande, aumentou para o segundo jogo.

JOGO 2






Com o revés na primeira partida, o Santos não tinha outra saída a não ser se lançar ao ataque, pois precisava de uma vitória por 2 gols de diferença para ficar com a taça. E assim o fez. Pressionou o São Paulo desde o início, até que, num cruzamento pela direita, Dodô cabeceou, Belleti tentou cortar e acabou marcando contra.

São Paulo, que não tinha o artilheiro França, saiu mais para o jogo, e conseguiu o empate de maneira inesperada até então: gol de falta de Rogério Ceni!

Rogério se colocou como o primeiro goleiro a fazer gol em finais de campeonato, só mais um de seus recordes.

Nesse jogo eu estava presente, e após o gol, o Morumbi tremeu demais, coisa que só acontece quando o estádio está muito cheio. A explosão do gol dá a sensação de que o estádio vai cair. Impossível explicar. Só estando lá pra saber.

Primeiro tempo terminou 1×1, e a vantagem era enorme para o tricolor. Mas, Rincón ainda deu esperança aos santistas. Aos 6 do segundo tempo, entrou na área e sofreu penalti de Wagner. Ele mesmo cobrou para fazer 2×1. O título ainda seria são-paulino, mas a preocupação tomou conta da torcida.

Só que estamos falando do clube da fé, e esta nunca nos abandona. Aos 23, Marcelinho Paraíbacobrou falta, de longe, forte e no ângulo. Carlos Germano ainda tocou na bola, mas não foi suficiente pra evitar o empate, e garantir o 20º título do Paulistão para o São Paulo.

Raí, o “terror” do Morumbi, e o REI DA DÉCADA!

E aí, lembrou destes?

Abaixo, os melhores momentos dos dois jogos

Jogo 1

Jogo 2

Fonte: 90goals

Comente com sua conta do Facebook: