Resenha SPFC – Até quando?

A coluna Resenha SPFC é escrita pelo Renan Aquino e será publicada semanalmente, contendo muita análise sobre o Tricolor! Confira aqui o índice da Coluna.






Quarta-feira foi mais uma daquelas noites que o torcedor são-paulino passa o dia todo esperando, calculando as melhores jogadas e mentalizando as melhores formações e jogadores.

Foi mais um dia que a torcida praticou exaustivamente esse exercício porque sabia que qualquer que fosse o time colocado por Jardine em campo a “pulga atrás da orelha” ia ficar. E por que os jogadores são fracos? Por que ele – o técnico – é despreparado? Pode ser também, mas efetivamente porque tudo no São Paulo Futebol Clube – há anos – se tornou previsivelmente um caos.

O apoio a decisão do Raí no final de 2018 ao escolher Jardine da minha parte e de uma considerada parte da torcida (longe de ser unanimidade) se deu pela compra de um conceito/metodologia. É aceitável considerar que para isso precisa de tempo, mas as decisões não condiz com quem busca fazer melhor ou minimamente diferente. Uma excursão furada que não deixou ninguém se preparar direito, um time pesado o tempo inteiro a quem diz querer propor o jogo, e a não utilização da base que foi o maior dos motivos da permanência do Jardine no cargo.

Esse medo de queimar a base é inaceitável, ninguém chegou ontem no time! Você pode (ou deveria) ter certeza que a tolerância da torcida é muito maior com Anthony, Helinho, Nestor, Liziero (contundido nessa rodada) e Luan (convocado sem necessidade alguma para seleção) do que com Nenê, Reinaldo e Diego Souza (a turminha que derruba técnico).

Eu concordo e entendo todo o levantamento (imprensa) e revolta (torcedores) com o AeroLeco, mas eles definitivamente não entram em campo. O São Paulo tem hoje um diretor de futebol, um coordenador técnico, a figura do Lugano que faz toda intersecção entre time e direção do futebol, todos os jogadores têm seu salário em dia, comem e estão bem instalados. Não dá para aceitar! Pensar em médio e longo prazo sim, mas no hoje quem resolve são os que jogam – ou deveriam – futebol.

Na 4ª feira (13/02) o Morumbi estará lotado de uma torcida quase tão apaixonada pela Libertadores do que pelo São Paulo Futebol Clube, a missão da classificação é muito difícil, mas impossível será aceitar a omissão de um técnico e de seus 11 comandados.

Reage Tricolor e vocês jogadores, no mínimo, respeitem quem paga o salário de vocês em dia e uma torcida que quer sim seu time protagonista novamente, mas antes disso quer jogadores que tenham minimamente vida dentro de campo.


Renan Aquino, são-paulino desde 1991 por culpa de Telê, Raí e do meu pai (que me deixou escolher a melhor opção). Empresário na área de qualidade de vida e saúde, pai de duas meninas e lateral-esquerdo nas horas vagas.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Comente com sua conta do Facebook: