São Paulo no país das maravilhas

O São Paulo vive no país das maravilhas desde 2009, ano em que os títulos cessaram. E a culpa, como todos sabem, é principalmente dos nossos dirigentes.






Contratamos medalhões que outrora fizeram história, fazemos uma linda festa com a esperança de que eles poderão nos levar à glória novamente, mas nada acontece. Vide Kaká, Luís Fabiano e agora Daniel Alves.
As derrotas desde 2009 vem se acumulando. Quando falo derrotas não me refiro a simplesmente a jogos, mas sim aos vexames históricos da pior década do clube.

O que será preciso para que o São Paulo acorde? Já fomos eliminados das competições internacionais, onde antes éramos temidos, por times de bairro. Defensa Y Justiça, Cólon, Talleres, todos eles sabiam da grandeza do tricolor paulista. Afirmavam isso antes dos jogos. Porém, veja como é cômico, esses times respeitavam a história do clube, mas nossa próprio instituição não respeitava a si. Atuações ridículas, displicentes e sem compromisso são a marcar desse São Paulo dos últimos 10 anos.

Entramos em campo achando que apenas a história vitoriosa do clube garantirá algo. Isso faz nossos jogadores e diretoria acreditar no êxito. Esse pensamento vem nos destroçando há tempos.

O São Paulo Futebol Clube precisa acordar para o futebol, para o mundo e para vida! Quantas vergonhas mais precisam para que isso aconteça? Será que tá esperando uma segunda divisãozinha?

Salve o tricolor paulista!


Willian Pereira. Sou pedagogo, especializado em orientação educacional. Nasci em São Paulo e moro hoje na cidade de Vitória da Conquista – BA. Gosto de futebol e amo meu time. Gosto também de opinar e discutir sobre o São Paulo Futebol Clube e para expor isso criei um perfil no Instagram chamado “Tricolor Terceiro Tempo”, onde procuro fazer comentários pós jogo.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: