São Paulo reencontra a Libertadores precisando retomar a hegemonia e o protagonismo entre brasileiros

Três anos após sua última participação, Tricolor ainda possui números que impõem respeito aos adversários, quando manda consegue ser melhor que o Boca e sua temida Bombonera, mas precisa fazer valer o retrospecto e o peso de sua camisa.


Renato Souza é são-paulino e jornalista, o primeiro sempre influência o segundo e vice-versa. Apresentador do Programa Mundo São Paulo às segundas-feiras no YouTube e Facebook.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

O São Paulo estreia hoje na 1ª fase da Libertadores, será a terceira vez do Tricolor em fases preliminares da competição continental.

Em 2013 o adversário era o frágil Bolívar, mas com o reforço da temida altitude de La Paz. A goleada por 5×0 no Morumbi garantiu a tranquilidade necessária para a classificação, apesar da derrota, 4×3, na Bolívia o São Paulo avançava para os grupos e seria eliminado mais tarde nas oitavas, pelo Atlético-MG.

Já em 2016 o rival era o desconhecido Universidad César Vallejo, do Peru. O empate em 1×1 fora de casa deixou o time em alerta para a volta no Pacaembu. Michel Bastos perdeu pênalti e Rogerio classificou o Tricolor no finalzinho do jogo.

O São Paulo é o clube Brasileiro com mais participações na Copa Libertadores, será sua 19ª, mesmo número de Grêmio e Palmeiras. É o mais decisivo, com três títulos e três vice-campeonatos conquistados, também é o time nacional que mais vezes chegou entre os quatro primeiros colocados (10 vezes).

TÍTULOS
Campeão da Libertadores de 1992, 1993 e 2005

VICE-CAMPEONATOS
Vice-Campeão da Libertadores de 1974, 1994 e 2006

PARTICIPAÇÕES
Disputou a Libertadores em 1972, 1974, 1978, 1982, 1987, 1992, 1993, 1994, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2013, 2015, 2016 e 2019.

CLASSIFICAÇÕES FINAIS
1972 – 4°
1974 – 2°
1978 – 14°
1982 – 11°
1987 – 17°
1992 – 1°
1993 – 1°

1994 – 2°
2004 – 3°
2005 – 1°
2006 – 2°
2007 – 12º
2008 – 7°
2009 – 7°
2010 – 3°
2013 – 16°
2015 – 10°
2016 – 4°






Até aqui são 181 jogos, se alcançar a fase de grupos, o Tricolor chegará a 191, ninguém no Brasil terá jogado tanto.

São 90 vitórias, Grêmio 95 e Palmeiras 91, estão logo à frente. Além de 42 empates e 49 derrotas. O que lhe dá um aproveitamento de 59,32%, o quinto entre os brasileiros.

Tantos jogos também renderam algumas derrotas e o Mais Querido é o segundo neste quesito, perdendo apenas para o Palmeiras (50×49).

Na história do torneio os são-paulinos comemoraram 279 gols, o quarto colocado entre os clubes do país, média de 1.54 gols por partida.

Dentro de casa são 90 jogos, 68 vitórias, 12 empates e apenas 10 derrotas que lhe rende aproveitamento de 80% dos pontos e respeito e temor por boa parte dos adversários do continente.

O time chegou a ficar 18 anos invictos dentro de casa, entre maio de 1987 e abril de 2006, foram 30 partidas, 27 vitórias e três empates. Nem o Boca Juniors tem um aproveitamento tão bom dentro de casa.

Longe de seus domínios aconteceram 91 partidas, com 22 vitórias, 30 empates e 39 derrotas.

Fontes:

Futdados:
(http://futdados.com/libertadores-retrospecto-completo-de-todas-as-participacoes-de-clubes-brasileiros/)

São Paulo FC:
(http://www.saopaulofc.net/noticias/noticias/historia/2016/12/19/historico-copa-libertadores/).

Comente com sua conta do Facebook: