Teoria x Prática

A TRIbuna do Braga é escrita pelo Rodrigo Braga em todas às sextas.

Estamos todos com saudade do nosso Tricolor amado. Mesmo que o primeiro semestre tenha sido, digamos, angustiante, a vontade de ver o time em campo supera qualquer lambança de cartolas. E neste sábado o São Paulo retorna aos gramados após exatamente 30 dias, e já volta em um Choque-Rei contra o invicto e líder Palmeiras. Com todo respeito ao rival, o jogo é no Morumbi e lá o favoritismo tem que ser nosso.

Além disso, o São Paulo de Cuca retorna cercado de muita expectativa. Talvez seja o time do qual se espera a maior evolução após essa parada da Copa América, afinal os reforços vieram (do Departamento Médico, mas vieram), e o elenco teve tempo para treinar e se condicionar fisicamente (coisa que não teve no início do ano) e o treinador teve tempo até de sobra para colocar em prática o que deseja. Aí é que está o x da questão: colocar em prática.

No papel, o time titular do São Paulo (salvo as laterais que carecem de opções melhores) não deixa a desejar para nenhum outro considerado favorito ao título do Brasileirão. Não é clubismo, não deixa mesmo. E se analisarmos o elenco, também não faz feio, pois a qualidade dos meninos que estão subindo da base é inegável. Mas repito, tudo isso é teoria. Na prática, o São Paulo precisa transformar tudo isso em bom futebol de fato. Se isso acontecer, e apenas com o Brasileirão no caminho, enquanto os principais adversários vão se dividir entre duas, três competições, o cenário tricolor neste segundo semestre de 2019 pode ser bastante animador.

Curti

Apesar de não ter sido uma contratação de impacto midiático, eu gostei da opção por Raniel para o ataque. O jovem que veio do Cruzeiro em muito potencial, penso que até mais do que os outros que vinham sendo sondados. Só preocupa o histórico de frequentador assíduo do DM. Mas desejo muita sorte a ele com a camisa tricolor.

Sonhando alto

Daniel Alves gastou a bola na Copa América. Experiente, o lateral de 36 anos mostrou que quando um craque se cuida fisicamente, a idade só ajuda a conhecer os atalhos de um campo de futebol. Ele talvez esteja no auge do seu futebol, e já disse que pensa sim em liderar esse ciclo da Seleção até a Copa de 2022 no Catar. São-paulino fanático, também já deixou claro que quer jogar no Tricolor antes de encerrar a carreira. É óbvio que Daniel Alves ainda tem muito mercado na Europa, é um dos melhores da posição no mundo. Mas por outro lado já ganhou praticamente tudo por lá, não há novos desafios que o motivem tanto. Se não vier uma proposta de um clube de primeiro escalão na Europa, talvez jogar no Tricolor agora possa o motivar bem mais (inclusive em termos de visibilidade para a Seleção) do que atuar em um clube secundário do Velho Continente ou em outro mercado periférico. É só um sonho por enquanto. Mas… sonhar não custa nada, né?


Rodrigo Braga. Tenho 40 anos, sou um paulista, paulistano e são-paulino radicado em Santa Catarina, onde há mais de 20 anos atuo como jornalista. Fui editor de esporte e participei de coberturas de Copa do Mundo, Jogos Pan-Americanos e outros eventos internacionais. Sou louco por futebol, mas, principalmente, sou louco pelo São Paulo Futebol Clube.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site






Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Comente com sua conta do Facebook: