Um bom caminho

A TRIbuna do Braga é escrita pelo Rodrigo Braga em todas às sextas.

O São Paulo termina o ano relativamente em paz. Com tempo e ambiente para arrumar a casa, as perspectivas para 2020 começam a ficar mais nítidas. A ideia de usar os garotos na última rodada, antecipando as férias dos demais, foi muito boa. O elenco voltará zerado no início de janeiro e, principalmente, com tempo para trabalhar, uma base formada e manutenção da comissão técnica. E mais: com a confiança de que se precisar usar a garotada nas primeiras rodadas do Paulista, pode fazer sem medo de passar vergonha. Gosto desse cenário.

Vi vantagem

O anúncio da troca de Vitor Bueno por Raniel com o Santos pegou todo mundo de surpresa, mas analisando friamente, foi um bom negócio para o São Paulo. Bueno terminou o ano em alta e começa 2020 como uma das peças importantes do elenco de Fernando Diniz.

Reforços

É consenso que o São Paulo não fará contratações de balaio, já que o elenco é bom, e ninguém questiona isso, e o principal objetivo é mantê-lo. Trocas criativas como a feita com o Santos, que tragam para o Tricolor jogadores que possam acrescentar, me parece ser a tônica do trabalho agora. E que as vendas, necessárias, tenham reposição de mesmo nível. Por exemplo: Antony, vendido para pagar as contas do ano, é verdade, mas merecia reposição com o atacante Michael, do Goiás. Allan, do Flu, ótimo volante e pelo jeito indicação de Diniz, seria uma boa reposição a uma eventual venda de Luan ou Liziero.

Última chance

Há quem diga que Pato já não é essa unanimidade toda entre direção e comissão técnica. Teve um ano horroroso mesmo, é verdade, mas eu daria a pré-temporada, uma boa conversa e os dois, três primeiros meses do ano para Pato mostrar que merece o investimento que foi feito pelo clube nele. Se continuar o ar de “tanto faz”, realmente pode ir passear em outras paradas. O mesmo não se aplica a Pablo e Hernanes, que também foram muito mal em 2019 e pouco jogaram por questões físicas e pessoais. Eles se cobram muito mais, sabem que estão devendo e eu tenho certeza que serão muito mais decisivos na próxima temporada.

Libertadores

Semana que vem tem sorteio da Libertadores. Só espero que a gente volte a ter um pouquinho de sorte com as bolinhas, diferente das últimas vezes. O São Paulo não será cabeça de chave, e como não pode enfrentar brasileiros na primeira fase (a não ser que Corinthians e Inter avancem da fase preliminar), a tendência é de uma chave boa. Eu só tenho um pedido: queria muito o Tigre no nosso grupo, para finalmente termos aquele segundo tempo maldito.


Rodrigo Braga. Tenho 40 anos, sou um paulista, paulistano e são-paulino radicado em Santa Catarina, onde há mais de 20 anos atuo como jornalista. Fui editor de esporte e participei de coberturas de Copa do Mundo, Jogos Pan-Americanos e outros eventos internacionais. Sou louco por futebol, mas, principalmente, sou louco pelo São Paulo Futebol Clube.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: