28 anos do bicampeonato da Copa Libertadores
Por Arquivo Histórico do São Paulo FC

Tricolor acabou derrotado pelo Universidad Católica, mas a goleada no Morumbi garantiu a taça

26/05/1993, a data é comemorativa para o torcedor são-paulino. Foi nesse dia que a equipe de Telê Santana conquistou pela segunda vez a América.

O São Paulo foi até o Chile enfrentar a Universidad Católica pela segunda partida da final da Libertadores e acabou derrotado por 2×0, porém uma vitória expressiva por 5×1 no primeiro jogo, deu a taça para Raí e Cia.

Como havia sido campeão no ano anterior, o Tricolor entrou direto no mata-mata da competição. Com isso, enfrentou um velho conhecido, o Newell’s Old Boys. A equipe fora batida pelo São Paulo na decisão do ano anterior e vinha em busca de vingança.

Entretanto, quem sorriu no final foi o time de Telê, que na partida de ida, na Argentina, perdeu por 2×0, mas na volta, no Morumbi, venceu por 4×0, gols de Dinho, Raí (2x) e Cafu. O camisa 10 estava com uma lesão, contudo, foi para o sacrifício e conseguiu ajudar o time a vencer e ir para o confronto contra o Flamengo, nas quartas.

Diante dos rubro-negros, o Tricolor empatou por 1×1 (gols de Palhinha para o Tricolor e Nélio para os cariocas) no Rio de Janeiro. E no Morumbi, conseguiu uma vitória tranquila por 2×0 (gols de Muller e Cafu).

Assim, o São Paulo foi à semifinal enfrentar o Cerro Porteño em um confronto apertado, com uma vitória magra no Morumbi por 1×0 (gol de Raí) e na partida de volta, um 0 x 0 garantiu o Tricolor na final para enfrentar Universidad Católica.

Em um Morumbi lotado, o São Paulo venceu por 5×1 (maior vitória em finais da Libertadores) com gols de López, contra, Vítor, Gilmar, Raí e Müller. Com uma menção honrosa para Zetti, que fez a histórica sequência de defesas (ao todo foram 4 arremates seguidos que o goleiro defendeu).

No jogo da volta, no Chile, derrota são-paulina por 2×0, mas o título estava decidido. O troféu erguido por Raí consolidou o trabalho de Telê Santana, conforme o técnico da equipe chilena comentou ao final do duelo: “O São Paulo é um time de mestres, uma equipe iluminada“.

Ficha técnica

Santiago (Chile) / Estádio Nacional de Santiago

Club Deportivo Universidad Católica 2 X 0 São Paulo Futebol Clube

Universidad Católica: Wirth, Romero, Vasquez, Barrera e Contreras (Cardoso); Parraguez, Lepe (capitão) e Lunari; Tupper (Reinoso), Almada e Perez. Técnico: Ignácio Prieto.

Gols: Lunari, 9’/1; Almada (pênalti), 15’/1.

SPFC: Zetti; Vítor (Toninho Cerezo), Válber, Gilmar e Marcos Adriano; Pintado, Dinho, Cafu e Raí (capitão); Palhinha e Müller. Técnico: Telê Santana.

Árbitro: Juan Francisco Escobar (Paraguai)

Público: 45.000 pessoas

Campanha do Tricolor

Oitavas-de-Final

07.04.1993 – 0 X 2 – Club Atlético Newell’s Old Boys (Argentina)

14.04.1993 – 4 X 0 – Club Atlético Newell’s Old Boys (Argentina)

Quartas-De-Final

21.04.1993 – 1 X 1 – Clube Regatas Do Flamengo (Rj)

28.04.1993 – 2 X 0 – Clube Regatas Do Flamengo (Rj)

Semifinais

05.05.1993 – 1 X 0 – Club Cerro Porteño (Paraguai)

12.05.1993 – 0 X 0 – Club Cerro Porteño (Paraguai)

Finais

19.05.1993 – 5 X 1 – Club Deportivo Universidad Católica (Chile)

26.05.1993 – 0 X 2 – Club Deportivo Universidad Católica (Chile)

Inscritos na competição

NúmeroJogadorPosição
1Zetti (Armelino Donizete Quagliato)GL
2Vítor (Claudemir Vítor)LD
3Válber (Válber Roel de Oliveira)ZG
4Ronaldão (Ronaldo Rodrigues de Jesus)ZG
5Pintado (Luís Carlos de Oliveira Preto)VL
6Ronaldo Luís (Ronaldo Luiz Gonçalves)LE
7Müller (Luiz Antônio Corrêa da Costa)AT
8Toninho Cerezo (Antônio Carlos Cerezo)MC
9Palhinha (Jorge Ferreira da Silva)AT
10Raí (Raí Souza Vieira de Oliveira)MC
11Cafu (Marcos Evangelista de Moraes)LD
12Gilberto (Gilberto Felix de Melo)GL
13Lula (Luiz Bonfim Marcos)ZG
14Adílson (Adílson José Pinto)ZG
15Gilmar (Gilmar Jorge dos Santos)ZG
16André Luiz (André Luiz Moreira)LE
17Dinho (Edi Wilson José dos Santos)VL
18Catê (Marcos Antônio Lemos Tozzi)AT
19Vaguinho (Vágner dos Santos)MC
20Rogério Ceni (Rogério Ceni)GL
21Elivélton (Elivélton Alves Rufino)AT
22Cláudio Moura (Cláudio Lúcio Camargo Moura)AT
23Suélio (José Suélio da Silva Lacerda)VL
24Marcos Adriano (Marcos Adriano Goncalves de Barros)LE
25Jamelli (Paulo Roberto Jamelli Junior)AT
Post anteriorResumão AT – 26/05/21
Próximo PostObrigado! Apenas, obrigado! | OPINIÃO
Pedro Vinicius, 24 anos e sou de São Paulo. Formado em jornalismo e especialista em jornalismo esportivo sou apaixonado por futebol desde sempre.