Caminho do Tri-Hexa: vitória no Maracanã

Na tarde de 14 de junho de 2008 (sábado), o estádio do Maracanã recebeu um público com mais de 55.000 pagantes, com a intenção de acompanhar o clássico entre Flamengo e São Paulo válido pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor enfrentou o líder do campeonato naquele momento e até então, único invicto. O esquadrão paulista almejava buscar a segunda vitória consecutiva na competição.

O jogo

O técnico Muricy Ramalho repetiu o esquema tático (3-5-2) e realizou apenas uma alteração na equipe titular, em relação ao último jogo: o meio-campista Hernanes (convocado para a Seleção Brasileira de Dunga) não estava à disposição e em seu lugar, Muricy escalou o volante Zé Luís, para atuar ao lado de Joílson.

Do outro lado, havia um adversário com ótima campanha no Brasileiro: o atual líder Flamengo, com um dos melhores ataques do torneio, com transições rápidas e atacantes velozes como Marcinho e Diego Tardelli.

Primeiro tempo com eficiência

Logo nos primeiros movimentos da partida, os flamenguistas foram mais agressivos e exploravam os lados, municiados pelos seus laterais e aproveitavam as bolas paradas.

Mas, o São Paulo com sua linha de três defensores (Alex Silva, André Dias e Miranda), soube suportar bem as investidas dos donos da casa. Depois a equipe paulista foi chegando mais ao ataque e ficou à vontade no jogo.

Aos 22 minutos saiu o primeiro gol do confronto. Em jogada pela direita, Joílson toca para Jancarlos, o lateral direito cruza, a bola chega em Hugo, que com inteligência dá uma assistência de cabeça para Borges, sem marcação. O artilheiro só teve o trabalho de testar para o fundo da rede.

Segundo tempo emocionante

Na volta do intervalo, o São Paulo mesmo com a vantagem teve uma boa chance com Hugo em cobrança de escanteio. O meia finalizou de primeira, mas a bola passou por cima da meta.

Pouco tempo depois, o Flamengo veio para cima. Aos 10 minutos, Diego Tardelli recebe a bola, avança pelo lado esquerdo do ataque rubro-negro e após o corte, é derrubado por Jancarlos que tenta cortar com um carrinho. O árbitro Leonardo Gaciba assinalou pênalti, cobrado pelo meia Ibson, igualando o placar.

Após o gol, Muricy Ramalho mudou a equipe, colocando o camisa 20 Richarlyson no lugar de Jancarlos. A substituição surtiu efeito, pois, deu mobilidade ao meio-campo tricolor.

Minutos depois, exatamente aos 16 minutos, a eficiência são-paulina deu resultado. O volante Zé Luís recebeu o passe, avançou e realizou um lançamento para área, em direção ao centroavante Borges que aproveitou a confusão da zaga flamenguista e com raça, ganhou na disputa e empurrou para o gol. Deixando o São Paulo novamente na frente!

Logo em seguida, aos 19 minutos, o São Paulo percebe que o Flamengo sentiu o baque do gol. Com isso, foi mais à frente, Richarlyson – que entrou ligado na partida- fez um belo cruzamento para Aloísio Chulapa, o centroavante, subiu mais alto que a zaga e cabeceou no canto direito, sem chance de reação ao goleiro.

Com a vantagem, o tricolor ficou confortável na partida, mas aos 25 minutos, Obina sofreu pênalti de Alex Silva. Novamente Ibson foi para a cobrança, mas desta vez o M1TO fez a defesa, mas dando rebote para Ibson, que de cabeça diminuiu o placar para 3 a 2.

Mesmo assim, ao longo da etapa complementar, o Flamengo, criou chances claras para empatar com Diego Tardelli na área sozinho e Obina em chute perigoso rente a trave esquerda.

O São Paulo suportou bem a pressão e definiu o marcador aos 47 minutos com Eder Luís, que entrou no lugar de Aloísio. O veloz atacante aproveitou o lançamento do M1TO e chegou com liberdade na área, cortou Christian e finalizou forte no canto direito, para fechar mais uma grande vitória no Brasileiro com o placar de 4 a 2 em cima do Flamengo.

Segunda vitória consecutiva dos comandados de Muricy Ramalho no torneio e o São Paulo chegava à sexta colocação com 9 pontos ganhos.

Você lembra deles?

Atuando como titular pelo Flamengo, o lateral direito Leonardo Moura vestiu a camisa do São Paulo no ano de 2003. Durante sua passagem, alternou partidas entre os titulares e no banco de reservas. Pelo Tricolor, atuou em 38 jogos e fez 1 gol. Atualmente, com 41 anos, é jogador do Botafogo-PB.

Nesta temporada, Diego Tardelli atuou no clube carioca. Mas, o atleta já atuou pelo Tricolor entre 2003 até o fim de 2007. Com velocidade e poder de finalização, obteve grande destaque em sua passagem pelo clube. Porém, durante este período, o futebolista chegou a ter problema por indisciplina. Sendo emprestado a clubes da Europa como Real Bétis-ESP e PSV Eindhoven-HOL e São Caetano. Fez parte do elenco que conquistou o Campeonato Paulista e Copa Libertadores da América de 2005 e o Campeonato Brasileiro em 2007. Com o manto sagrado, realizou 140 partidas e anotou 39 gols. Atualmente, com 34 anos, o atleta defende o Atlético-MG.

Ficha Técnica

Flamengo 2 x 4 São Paulo – 6ª Rodada

FLAMENGO
Bruno, Léo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim, Juan, Toró (Jônatas), Christian, Ibson, Marcinho, Diego Tardelli (Maxi Biancuchi) e Souza (Obina).
Técnico: Caio Júnior.

SÃO PAULO
Rogério Ceni, Alex Silva, André Dias, Miranda, Jancarlos (Richarlyson), Joílson, Zé Luís, Jorge Wagner, Hugo, Borges (Eder Luís) e Aloísio.
Técnico: Muricy Ramalho

Local: Estádio Jornalista Mario Filho, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ
Data: 14/06/2008, Sábado
Horário: 16h10
Público: 55.238 pagantes
Renda: R$ 909.783,00
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Cartões Amarelos: Jorge Wagner (São Paulo), Aloísio (São Paulo) e Leonardo Moura (Flamengo).
Gols:  1º Tempo: Borges aos 22 minutos (SPO) / 2º Tempo: Ibson aos 10’ (FLA), Borges aos 16’ (SPO), Aloísio 19’(SPO), Ibson aos 25’ (FLA) e Eder Luís aos 47 minutos (SPO)

Melhores Momentos

Confira os jogos anteriores

1ª Rodada – São Paulo 0 x 1 Grêmio
2ª Rodada – Athletico 1 x 1 São Paulo
3ª Rodada – São Paulo 1 x 1 Coritiba
4ª Rodada – Santos 0 x 0 São Paulo
5ª Rodada – São Paulo 5 x 1 Atlético/MG


Alan Ribeiro Gomes. Tenho 27 anos, formado em Jornalismo e atualmente faço graduação em Educação Física. A torcida pelo São Paulo Futebol Clube iniciou através de meu pai desde criança. A partida decisiva da final do Campeonato Paulista de 1998 foi um dos grandes marcos em minha vida. Ao longo dos anos, a paixão pelo tricolor só aumentou, independente de vitórias ou derrotas. Acompanhar o Clube da Fé é algo que faz parte da minha vida.

Foto: ESPN

Comente com sua conta do Facebook: