Um lateral que marcou época

É com esse título que começo esse texto para falar de um dos grandes laterais-esquerdos da história do clube. Nelson Luis Kerchner, nascido em São Paulo, no dia 31 de dezembro de 1962. Nelsinho como ficou conhecido, brilhou no Tricolor e ganhou muitos títulos com a nossa camisa.

Cria do próprio São Paulo, subiu ao time profissional em 1979, esperou uma chance de virar titular e foi reserva de Marinho Chagas. Com a saída do diabo loiro, ele virou definitivamente titular em 1983.

Era um lateral muito forte no apoio. Sua principal característica era o cruzamento com efeito e com muita força. Certamente seria um lateral muito apurado e valorizado se ainda jogasse nos dias atuais, onde há uma lacuna de laterais muito grande.

Enfileirou títulos pelo Tricolor. Foi campeão Paulista em 1980, 1981, 1985, 1987, 1989 e 1991. Conquistou os Brasileiros de 1986 e 1991. E participou da Libertadores de 1992.

Em 1990, foi emprestado ao Flamengo, porém se machucou e voltou para o São Paulo. Ajudou o time na conquista do Brasileiro de 1991 e do Paulista do mesmo ano. Em 1992, participou como reserva da Libertadores. No meio do mesmo ano, se transferiu para o Corinthians. Em 1993, foi jogar no Kashiwa Reysol do Japão, onde ficou até 1995, quando se aposentou dos gramados.

Participou de 512 jogos com a camisa do São Paulo, é o sétimo que mais vestiu a camisa Tricolor. Ele marcou 9 gols. Jogou na Seleção Brasileira entre 1987 e 1990. Foram 35 jogos pelo Brasil.

Depois de aposentado, trabalhou como treinador na Inter de Limeira em 2004, no União Mogi e no Guarulhos, em 2015.

É sem dúvidas um dos maiores laterais do São Paulo, porém, pouco lembrado ou valorizado. Fala-se muito em Leonardo, Júnior, Marinho Chagas. Mas, muitos se esquecem de Nelsinho, que nasceu Tricolor e nos defendeu como poucos.






Por Victor Vasques

Comente com sua conta do Facebook: