Foto: Rummens

Em jogo apático, no Morumbi, o São Paulo perdeu o 1º lugar para o Inter, que entrou em campo para decidir.

A postura indolente do Tricolor chamou a atenção, pois a equipe visitante se impôs desde o início da partida, mostrando que faria exatamente a mesma coisa que os times que derrotaram o São Paulo fizeram: marcar a saída de bola.

Assim, o Inter roubou diversas bolas e abriu 2 a 0 sem muitos problemas. Atrás do placar, o São Paulo não esboçou nenhuma reação, mesmo tendo mais tempo para criar do que em outras partidas. O gol são-paulino só saiu após uma falha do zagueiro Cuesta, que resultou no escanteio que proporcionaria o gol de Luciano.

No segundo tempo, Diniz fez o que sempre faz: tirar um zagueiro e colocar Vitor Bueno. Igor Gomes também entrou no lugar de Sara.

O time até tentou ser mais ofensivo, entretanto as chances de gol seguiram nulas.

Mais uma vez, o São Paulo errou quando tentava sair para o jogo. Vitor Bueno errou um passe que virou assistência para Yuri Alberto, o nome do jogo.

O terceiro gol Colorado, destruiu o São Paulo emocionalmente e em falhas grotescas, o garoto Yuri fez mais dois e sacramentou a goleada e a merecida liderança do Internacional.

Como nos jogos das eliminações no Paulista, Libertadores e Copa do Brasil, a forma como elenco são-paulino encarou o confronto impressionou, pois não condiz com o que se espera de uma equipe que almeja ser campeã de alguma coisa.

Primeiro tempo

O Internacional entrou com vontade de assumir a liderança e logo aos 3 minutos teve sua primeira chance com Yuri Alberto, mas Volpi fez a defesa. No minuto seguinte, jogada ensaiada do Inter e Cuesta quase fez de cabeça.

O São Paulo seguia sufocado e a dificuldade para sair jogando vista nas últimas partidas permaneceu. Em jogada pela esquerda, Moisés fez bom cruzamento e Victor Cuesta novamente apareceu na área para cabecear e dessa vez foi falta, 1 a 0 Inter.

O Tricolor insistia em sua saída de bola, mesmo com o adversário pressionando e forçando erros. A essa altura, as únicas chegadas do time haviam sido em dois chutes de Tchê Tchê que passaram bem longe do gol de Lomba.

A postura do São Paulo era tranquila demais para quem estava atrás no placar e o Colorado se aproveitou disso e em contra-ataque puxado por Yuri Alberto, Caio Vidal fez o segundo.

Aí o nervosismo se abateu sobre o time são-paulino que começou a fazer muitas faltas e errar ainda mais, o que proporcionou outras oportunidades para o Inter marcar o terceiro. Entretanto, aos 35 minutos, depois de Cuesta, autor do gol Colorado afastar uma bola tranquila e gerar escanteio para o São Paulo, Luciano confirmou a expectativa pela sua volta e diminuiu para o Tricolor.

A partir daí, o time de Fernando Diniz ensaiou uma postura mais confiante, porém isso durou pouco e foram os gaúchos que estiveram mais próximos do gol.

Segundo tempo

Na 2ª etapa, Diniz tirou Léo e colocou Vitor Bueno, alteração que já é praxe nos jogos. Outra mudança foi a entrada de Igor Gomes, no lugar de Gabriel Sara.

As modificações fizeram o São Paulo ser um pouco mais ofensivo, mas criar as jogadas para finalizações de Brenner e Luciano ainda era um problema.

O Inter manteve seu jogo de pressionar a defesa são-paulina e em um vacilo de Vitor Bueno, que aconteceu por pura desatenção do camisa 12, Yuri Alberto apareceu frente a frente com Volpi e não perdoou e marcou o terceiro.

A partir daí, o São Paulo, que não foi ao Morumbi disputar a liderança do campeonato, acusou o golpe e mais uma vez Yuri Alberto fez um gol fácil contra Volpi.

Para aumentar o vexame, Daniel Alves perdeu a bola no meio-campo e Yuri Alberto fez seu terceiro gol na noite. Após o 5º gol o os gaúchos retornaram a postura de esperar para contra-atacar, sabendo que as ações do ataque Tricolor eram inofensivas. Carneiro e Bóia entraram, porém o abatimento da equipe era visível.

Sem acréscimos, como forma de piedade, o jogo acabou e agora o São Paulo, que já teve vantagem de 7 pontos para o vice-líder, é o 2º colocado.

O Tricolor volta a campo neste sábado (23), às 19h, para enfrentar o Coritba, no Morumbi.