Alexandre pássaro fala sobre salários de Daniel Alves
Foto: Reprodução

O ex-gerente de futebol do São Paulo, Alexandre Pássaro, participou do podcast Flow Sport Club, comandado por Igor 3K e Davy Jones, e falou sobre seu período no Tricolor. À época de sua saída, o time era o líder do Campeonato Brasileiro de 2020 e contava com Daniel Alves no elenco, além de ser comandada pelo técnico Fernando Diniz. Especificamente sobre o lateral-direito, Pássaro explicou quais razões levaram o clube a aceitar investir tão pesadamente em seus salários.

Lógico que os valores eram altos. Mas se formos elencar, nos últimos cinco anos Daniel está no top 15 dos jogadores mais caros do futebol brasileiro. Não era o primeiro nem o segundo. Existe um conceito, que muita gente não entende, que é o do atleta livre. Daniel estava livre e era dono do próprio “passe”. Se ele estivesse no Barcelona, custaria 10 milhões de euros, no mínimo. E ele não estava. Quando vai tudo para uma pessoa física, parece impagável ou coisa de outro mundo. Lógico que era caro, bem caro. Mas não era algo nunca visto. O salário anual dele devia representar 3 ou 4% do orçamento anual do clube. Pode ser bastante para um jogador apenas, mas em um ambiente de 100%, o cara ter 3 ou 4% não vai quebrar o clube“, explicou Alexandre Pássaro.

Veja abaixo o corte com a explicação de Pássaro no Flow. Ou clique aqui.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anterior“Temos que melhorar fora de casa para pensar em título”, afirma Rogério Ceni
Próximo PostCasares responde sobre viabilidade da SAF no São Paulo
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.