Como baixa de Liziero deu espaço a Rodrigo Nestor no time titular
Foto: Rubens Chiri / São Paulo FC

Um cruzamento na cabeça do companheiro Rigoni. Um passe de letra, o qual chamou de “meia assistência”, que resultou no gol de Luciano. Com essa atuação decisiva, Rodrigo Nestor segue se consolidando como um dos principais jogadores do clube no setor. E não é para menos: ele é o jogador com mais assistências na temporada – em um total de seis. Garoto de Cotia, Nestor tenta se firmar em uma das vagas mais disputadas do elenco. Nessa última segunda, o jogador deu entrevista à página oficial do São Paulo no Facebook e falou um pouco sobre este momento.

“Estou feliz aí por ter conquistado os três pontos que eram importantíssimos para a gente e ter ajudado com uma assistência e meia”. (risos)

O jogador, ainda, narrou detalhadamente as suas jogadas:

“Na jogada do primeiro gol, acho que o Reinaldo toca para o Rigoni. Nisso eu já fui abrindo e saindo do marcador. O Rigoni tocou para mim e o Igor Vinícius passou, colocando em dúvida o marcador. A minha intenção era chutar ao gol, mas quando vi que estavam o Luciano e o Rigoni sozinhos, tentei jogar por cima dos zagueiros e o Rigoni foi feliz, fazendo o gol”, disse ele, sem esconder a felicidade.

E continuou:

“No segundo, o Galeano chegou meio livre e eu pensei: “Vou puxar no primeiro pau”. A minha intenção era tentar o toque para o gol. Só que como ficou atrás, eu acabei dando uma puxadinha e sobrou para o Luciano, que acabou fazendo o gol. Eu tentei meter o gol de letra, mas como ela ficou muito para trás, eu pensei em puxar e tentar para alguém, ainda mais quando se está com jogadores como o Luciano e o Rigoni”.

Para finalizar, o jogador brincou com o seu companheiro Luciano:

“O Luciano estava ali na hora certa, quase perdeu o gol, mas está bom”, destacou, aos risos.

Confira a entrevista abaixo ou clicando aqui:

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorEmprestados atuam sem destaque no final de semana
Próximo PostSão Paulo paga até hoje, 19 anos depois, pela contratação do meia Ricardinho
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.