Presidente do Ceará promete esforço por Pablo:
Foto: Rubens Chiri / São Paulo FC

O atacante Pablo vive um bom início de temporada, com 4 gols em 9 jogos, além de duas assistências. Os números o colocam como artilheiro do time de Hernán Crespo, que já viu 18 jogadores diferentes marcarem 30 gols entre Campeonato Paulista e Libertadores.

Um dos atletas mais criticados no ano passado, Pablo ainda busca justificar a condição de contração mais cara da história do clube e a fama de goleador que adquiriu nos tempos de Athletico-PR. Nas duas primeiras temporadas com a camisa são-paulina ele não conseguiu superar os 18 gols que anotou pelo Furacão em 2018, mas ainda assim foi o artilheiro da equipe em 2019, seu ano de estreia, com apenas 7 gols, porém suficientes para se destacar no pior desempenho do ataque da história Tricolor. Em 2020, o atacante foi 12 vezes às redes, ficando atrás de Brenner, que se tornou titular apenas depois do começo do Brasileirão e de Luciano, que chegou já no segundo semestre.

Entretanto, se tem um aspecto que chama a atenção em Pablo são os gols em clássicos. Desde que chegou, ele já disputou 16 desses jogos e marcou em 5 deles. Sua principal vítima foi o Santos, que sofreu três gols, enquanto o Palmeiras levou 2. Nesse domingo, contra o Corinthians, o camisa 9 vai tentar ampliar os gols diante dos alvinegros, pois até agora marcou apenas um. E a atual temporada da esperanças para que isso aconteça, já que ele já balançou as redes para cima Peixe e do Verdão nesse Campeonato Paulista.

O atacante deverá ser titular ao lado Luciano, em jogo que começa às 22h15, na Neo Química Arena.

Confira os gols de Pablo em clássicos:

  • Camp Paulista 2021 – Palmeiras 0 x 1 SPFC – 1 gol
  • Camp. Paulita 2021 – SPFC 4 x 0 Santos – 1 gol
  • Camp. Paulista 2020 – SPFC 2 x 1 Santos – 2 gols
  • Camp. Brasileiro 2019 – SPFC 1 x 1 Palmeiras – 1 gol
  • Camp. Paulista 2019 – Corinthians 2 x 1 SPFC – 1 gol
Post anteriorMuricy fala sobre passagem de Diniz: “O São Paulo tinha um plantel desequilibrado”
Próximo PostDaniel Alves ao The Guardian: “Brasil é cemitério de técnicos e jogadores”
Formado em jornalismo pela Faculdade das Américas. Sempre amei escrever e sempre amei o São Paulo Futebol Clube. Essas duas paixões me motivam a produzir conteúdo sobre o meu time do coração. Mas eu também gosto de falar política, história e entretenimento. Porém, já aviso que minhas opiniões não são simples a respeito de nada. O mundo é complexo e eu não sou diferente.