O técnico Edgardo Bauza fez um balanço positivo de sua passagem pelo Morumbi (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)O técnico Edgardo Bauza fez um balanço positivo de sua passagem pelo Morumbi (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Anunciado oficialmente como novo técnico da seleção argentina, Edgardo Bauza concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira, sua última no CCT da Barra Funda, para agradecer a todos aqueles que o ajudaram durante os oito meses em que esteve à frente do Tricolor. O Patón ainda afirmou aos jornalistas que deixa um time com “identidade” para o futuro comandante e garantiu que a troca de treinadores neste momento não servirá como empecilho no cumprimento das metas da equipe no restante da temporada.

“É difícil para mim começar os agradecimentos, porque são muitos. A primeira pessoa que me encontrei em Quito foi Gustavo, falamos de futebol e da equipe do São Paulo. Fechamos um acordo, e começamos a trabalhar. Agradeço ao presidente, ao clube, porque desde que cheguei me abriram as portas. A mim e a toda comissão. Realmente, nos facilitou tudo para que pudéssemos trabalhar da melhor maneira. E o clube está preparado para isso”, declarou o treinador de 58 anos, antes de prometer que continuará acompanhando o São Paulo mesmo à distância.

“Um agradecimento porque me tomo como um prêmio para o momento de minha carreira, em que me encontro seguro, mas também pela minha passagem pelo São Paulo. É uma relação que, apesar da distância, vai seguir. E espero voltar um dia para visitá-los e ver alguma partida da equipe”, acrescentou.

Questionado se deixaria um legado na agremiação do Morumbi, o Patón recordou a campanha na Copa Libertadores da América, na qual os seus comandados alcançaram as semifinais, sendo a única equipe brasileira a atingir tal fase. O técnico também disse que o elenco adquiriu uma “identidade” em relação ao ano anterior, quando a torcida considerava o time apático dentro de campo.

“Demos uma identidade ao time, ficamos entre os quatro melhores da América, que é um orgulho. Faz mais de três anos que o São Paulo não ganha um título. E para pensar nisso, tínhamos que armar a equipe. Com essa ideia, começamos a trabalhar e conseguimos. Talvez alguns não gostem, mas tudo bem. Mas a equipe tem uma identidade, de acordo com a história do clube e agora estamos tratando de melhorá-la mais. Vou seguir trabalhando até o último minuto nesse clube. Seja dois dias, uma semana, o que seja”, avaliou.

Por fim, o novo técnico da Argentina refutou a hipótese de que uma mudança no comando do São Paulo pudesse atrapalhar a evolução da equipe para o restante de 2016. “Creio que não, porque a equipe já tem uma identidade. Claro que cada treinador tem coisas pessoais. E oxalá que agreguem coisas a mais. Não acredito que a equipe tenha problemas para se adaptar a um novo conceito com o perfil que já tem. Já tinha uma identidade. Depois, obviamente, o técnico que vir vai acrescentar mais coisas”, concluiu.

Edgardo Bauza se despedirá do clube brasileiro nesta quinta-feira, quando o São Paulo receberá o Atlético-MG, às 19h30 (de Brasília), no Morumbi, em duelo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Antes, o treinador argentino comandará seu último treino à frente do Tricolor, na manhã desta quarta, no CCT da Barra Funda.


Veja fotos no treino do São Paulo

Timão decide oitavas em casa; Tricolor, Verdão e Peixe mandam primeiro jogo

São Paulo garante que já existe um favorito para o cargo de Bauza