Coluna do Felipe – Teremos uma nova dupla no futuro?

A Coluna do Felipe é publicada às quintas-feiras pelo Felipe Morais e sempre trará detalhes sobre a rica história do Tricolor! Clique aqui e veja todas as edições da coluna.

Amigos tricolores






Esse ano, acompanhei mas de perto a Copinha. Todos os anos tento, mas por compromissos profissionais, consegui trabalhar, em 2019, alguns dias de casa, e por felizes coincidências em dias de jogos do São Paulo na Copinha. Confesso que nunca fui um grande fã dessa competição, mas o que a base do São Paulo tem feito nos últimos anos me dá vontade de acompanhar ainda mais essa “molecada” boa de bola. Tenho a certeza que, lá de cima, nosso mestre Telê Santana está orgulhoso da forma com a qual essa base joga. Toques rápidos, sempre em direção ao gol, pouco toque de lado, pouco chute para qualquer lado, os jogadores jogam com total consciência do que é preciso ser feito. Ponto para André Jardine que começou isso a alguns anos em nosso tricolor.

Antony

Esse garoto tem muito futuro. Driblador, parte para cima, não tem medo de chutar e com bom passe. É veloz, joga bem pela ponta direita. O futebol brasileiro está voltando a jogar com 3 atacantes, sendo 2 pontas abertos e um centroavante, me agrada, me lembra o 4-3-3 de Zé Teodoro, Oscar, Dario Pereyra e Nelsinho. Bernardo, Silas e Pita. Muller, Careca e Sidnei, o melhor, na minha opinião, time que o São Paulo já teve. E ainda com Gilmar Rinaldi no gol. Eram os Menudos do Morumbi.

Antony joga muita bola, isso está comprovado. É novo, e cometeu algumas coisas no campo que precisa ser chamado a atenção, mas nada que a idade não seja a responsável. É jovem, tem muito a aprender e evoluir, vai conseguir, sem dúvida, só precisa que os mais experientes lhe corrijam em alguns excessos, pois com a cabeça no lugar, estamos diante de um cara que muitas alegrias nos dará. Ele já mostra um amadurecimento ao ter, junto com o Sr. Homero Bellintani Filho, “adotado” a pequena Larissa, talismã da molecada na Copinha. Que menina espetacular!!!

Está começando a ser testado no time principal. Contra o São Bento, ele entrou e deu uma outra velocidade para o time. Há de se pensar que ele é um garoto e pode ter um pouco de medo do profissional. Além disso, na Copinha ele era protagonista, hoje ele é coadjuvante. Ainda! Helinho tem mostrado que a responsabilidade pesou, não tem mostrado o mesmo poder decisivo no titular que tinha na Copinha. Nada que a idade não explique. Mas Antony, se mostrou ter mais personalidade, algo normal. Tivemos Militão e Lucas Moura, mais recente, que não sentiram o peso, mas Lucas Fernandes, Shaylon, por outro lado, sentiram.

Gabriel Novaes

Faro de gol! Sabe sair da área, se posiciona muito bem. Como venho dizendo, é daqueles centroavantes que “se deixar, guarda” como é dito popularmente no futebol. Tem uma enorme noção de posicionamento e é outro que se bem treinado tem tudo para fazer decisivos gols e nos dar alguns títulos no time principal. No ultimo dia 25, seu gol, mostrou isso, o Vasco deu mole 1 lance e ele guardou a bola dentro do gol. Não é gol de oportunista, mas de quem sabe se colocar onde a bola vai, e com muito treino ele sabe, antes do jogador bater na bola, onde ela realmente vai!

A sua ida para o Barcelona eu vejo com bons olhos. Primeiro, porque o Barcelona tem uma metodologia de trabalho admirável, os times jogam sempre da mesma forma e em busca sempre do gol. Essa experiência lhe será válida, até para amadurecer como pessoa e profissional, e voltar ao São Paulo com chances de ser titular, algo que Helinho, como dito acima, ainda não está provando. O São Paulo faz isso, manda jogador para outros times, ele ganha experiência, amadurece e volta para ajudar. Hernanes, jogou no Santo André por um ano, mas assim como Hernanes voltou, vamos torcer para ele também voltar!

Telê Santana

Não é segredo para ninguém o quanto o mestre era chato com fundamentos. Ele queria que os jogadores treinassem ao máximo isso, como bater na bola, chute, passe, domínio. Não era um exímio estrategista, mas Telê sabia como poucos tirar o melhor dos jogadores. Torço para que os treinadores da base do São Paulo como Orlando Ribeiro, Vizolli e outros façam isso. A base prepara o jogador para o time titular. Talento nasce, mas precisa ser lapidado, tanto no psicológico como no campo também. Telê era grande defensor de que é impossível chegar a perfeição, mas é possível se aproximar dela.

Recuperamos o futebol

Cito o mestre Telê aqui para mostrar, que talvez, estejamos com essa nova geração recuperando o bom futebol que um dia tivemos. Do drible, do jogo bonito, do jogo rumo ao gol. Algo que vi na Copinha que me agradou foi não ter o toque de lado, o que está irritantemente inserido no time de cima. Uma vez ouvi de um torcedor: “Se a FIFA mudar os gols para as laterais do campo, o São Paulo será imbatível” e tem razão. Há alguns anos, a base tem se saído melhor que o principal, o que era para ser o principal inspirar a base, parece que no São Paulo é o contrário. Espero que Jardine, um dos grandes responsáveis por isso, possa fazer um excelente trabalho no profissional como fez na base e que Telê o inspire!

Nova dupla

Depois do título da Copinha, que aliás, registro aqui, publicamente, meus parabéns a molecada que já começou o ano ganhando título e parabéns, mais ainda, pela linda atitude que o time teve com a Larissa, acabei me empolgando e em alguns grupos do São Paulo soltei que “Antony e Gabriel são os novos Muller e Careca”, claro, uma grande brincadeira, mas depois pensei: E por que não?

Quando veio do Guarani, Careca era uma realidade do futebol, Muller ainda uma jovem promessa, anos mais tarde se mostrariam gênios e formariam a melhor dupla de ataque que o nosso São Paulo já teve, inclusive dupla de Copa do Mundo (1986) que poderia facilmente ter jogado a de 1990 também, mas no Brasil, jogou no São Paulo a imprensa fica tão incomodada que queima jogador. Bom era Bismark!

Cedo demais para cravar, mas para sonhar, não. Eu avalio uma dupla bem entrosada. Antony ganhará força no time titular do São Paulo, pelo menos deu indícios disso. Gabriel vai ganhar experiência no Barcelona e em breve voltará. Quem sabe, 2021, Antony e Gabriel como dupla que reviverá Muller e Careca? Se eu acertar, quem ganha é o nosso tricolor!

Que safra!

O fato é que a safra, de novo, é ótima. Temos promessas em todas as posições. Thiago Couto, vai dar trabalho para Jean, que perdeu a concorrência de Lucas Perri, mas não pode “vacilar” ou ganha Couto. Tuta, Morato, Rodrigo Nestor, Fabinho, Sara, são outros jogadores que tem chances. Para o São Paulo, quanto mais a base ser fortalecida, quanto mais jogadores forem revelados, melhor para o time. Sonha-se com o dia em que o São Paulo, titular, seja formado pela base. Essa base tem tudo para ser esse time em alguns anos, basta que a ânsia da diretoria em vender seja controlada, pois não será mais necessário – como já não era – gastar milhões com Everton Felipe, quando se tem Toró, Helinho, Antony, Fabinho em casa. Não precisaremos mais contratar Carneiro e Trellez com Gabriel Novaes em casa. E quem sabe, Gabriel Sara ou Igor não sejam os novos Hernanes? Só o tempo dirá!


Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Comente com sua conta do Facebook:
Você já conhece a Loja do Arquibancada? Modelos exclusivos para você mostrar o seu amor pelo Tricolor!