Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

No São Paulo de 2009 a 2017, o goleiro Denis, que atualmente está no Gil Vicente de Portugal, disse que se arrepende de não ter saído antes do Tricolor.

Em entrevista à ESPN ele afirmou: “Nesses nove anos de São Paulo apareceram algumas propostas. Novamente apareceram da Europa, do mesmo time, em 2012 ou 2013, se não me engano. Tive sondagem. Na época o próprio Juvental (Juvêncio), presidente do São Paulo, de maneira alguma falou que eu sairia, porque estava próximo de o Rogério parar e trabalhavam para que eu entrasse. Alguns jogadores, o próprio Rogério falando que estava há tanto tempo, para ficar e não sair. Teve outras oportunidades e preferi, conversando com todos, empresário, família e presidente Juvenal, continuar no São Paulo”.

Ainda completou: “Agora falando hoje é fácil, mas na época era uma escolha que eu tinha. Estava num grande clube, com perspectiva de jogar e ser titular. Era difícil decidir por uma saída. Se fosse hoje, é difícil falar por tudo o que aconteceu, até me arrependo um pouco de não ter saído antes, porque acho que se tivesse saído antes do São Paulo a minha história seria totalmente diferente. As pessoas lembrariam só das coisas boas que aconteceram. Hoje me arrependo um pouco de não ter saído antes, mas volto a dizer que tudo o que passei no São Paulo foi um aprendizado e tenho um carinho enorme pelo clube”.

Ele foi o primeiro goleiro a assumir a posição após a saída de Rogério Ceni, ficando até 2017, quando se transferiu o Figueirense. Denis afirma que é muito grato ao São Paulo, mas que se ciclo no clube acabou e que precisa seguir a sua carreira:

“Eu tenho uma gratidão muito grande pelo São Paulo. Foram nove temporadas dentro de um dos maiores clubes do Brasil. Fico muito feliz em fazer um pouco parte da história do São Paulo. O São Paulo faz parte da minha vida. Não tem como não falar do Denis jogador e não citar o São Paulo. Esperei por sete anos na reserva do Rogério para que pudesse ter uma oportunidade. Lógico que aconteceram erros, acontece e todo jogador erra. No momento, acho que potencializaram um pouco. Lógico que eu tive alguns erros. Eu assumo isso. Todo jogador, principalmente goleiro, mas eu acho que foi um pouco exagerado na época. E é muito pouco falado dos acertos que aconteceram. Era difícil alguém entrar e jogar no lugar do Rogério. Mas fico muito feliz pela minha passagem. O meu ciclo no São Paulo terminou e tenho de seguir a carreira e o sonho de jogar. É o que estou fazendo”.

Fonte: GloboEsporte
Foto: Rubens Chiri / São Paulo FC

Publicidade
Post anteriorTRICast #29: o que esperar do São Paulo pós-pandemia?
Próximo Post“Se o São Paulo fosse uma pessoa seria o amor da minha vida”, afirma Souza
Vanessa Dias, 25 anos e sou de Araras, interior de São Paulo. Formada em Relações Públicas, especialista em Mídias Digitais e apaixonada por futebol desde que me conheço por gente. Sou parte do time desde o começo de 2018, onde trabalhamos todos os dias para que a torcida esteja sempre em conexão com o clube do coração.