Foto: Ivan Storti/Santos FC

O possível retorno do meia Yeferson Soteldo ao Brasil está causando grande frisson na mídia. Além dos jornais nacionais, que constantemente apontam algum interessado no venezuelano, agora o Olé produziu uma matéria em que destaca a luta de São Paulo, Santos e Palmeiras pelo atleta.

A publicação realça o fato de o jogador estar insatisfeito na MLS. Seu time, o Toronto, ficou em penúltimo lugar na chave da Conferência Leste. Soteldo teria o agravante de não ter se adaptado no outro lado do continente e, por isso, veria com bons olhos um retorno ao Brasil.

O Olé reporta que Soteldo foi um dos grandes destaques do futebol sul-americano enquanto esteve no Santos, com seus dribles e ousadia. Essas qualidades, contudo, não conseguiram resplandecer na América do Norte e isso seria outro motivador para a mudança de ares do atleta.

Pesaria, também, o fato de que o Toronto trocou de técnico. O novel comandante já teria dado indícios de que o futebol de Soteldo não seria aproveitado na próxima temporada. Com isso, o Santos, seu antigo clube, sonharia em repatriá-lo. Ao seu lado estariam justamente o São Paulo e o rival de Barra Funda, o Palmeiras.

O grande problema, de acordo com o Olé, seria a dificuldade na questão salarial. O meia receberia algo em torno de 350 mil dólares e não estaria disposto a diminuir os seus vencimentos. Outro fator seria o valor dispendido pelo time canadense: 6 milhões de euros na contratação. O diário relatou que o interesse são-paulino condiz com a sua vontade de novamente ascender o clube internacionalmente.

De acordo com informações exclusivas do jornalista João Pedro Sgarbi, Soteldo estaria praticamente certo com o São Paulo e apenas alguns detalhes o separariam da chegada ao Morumbi.

Confira a matéria do Olé clicando aqui.

Post anteriorVeja quais jogadores podem disputar a Copinha pelo São Paulo
Próximo PostConfira os bastidores do título da Brasil Ladie Cup
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.