Dois jogadores do São Paulo entram com processos contra a EA SPORTS

Foto: Rummens

Os jogadores do São Paulo, Calleri e Rafinha, entraram com processos contra a EA SPORTS, que é responsável pelo jogo EA SPORTS FC, o famoso FIFA, como era chamado até a edição 2023.

Segundo o Globo Esporte, o motivo dos atletas terem entrado com uma ação no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) é por supostas violações de direitos de imagem, pois as defesas alegam que os jogadores não assinaram um contrato individual e não autorizaram a veiculação de suas imagens.

Isso vai contra a Lei Pelé, especificamente no que diz respeito ao artigo 87-A que exige que exista um contrato de natureza civil com o jogador para permitir a exploração comercial da imagem.

A empresa, por sua vez, afirma que possui contratos coletivos com instituições como a FIFPro (Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol) que concedem a permissão para utilizar as características dos atletas e clubes. O processo consiste no uso da imagem de quando Rafinha e Calleri ainda não atuavam no futebol brasileiro.

No caso de Rafinha, o processo cita quando ele jogou por Schalke 04 e Bayern de Munique, da Alemanha, Genoa, da Itália, e Olympiacos, da Grécia, e Calleri por All Boys e Boca Juniors, da Argentina, West Ham, da Inglaterra, e Las Palmas, Alavés, Espanyol e Osasuna, da Espanha.

A defesa do atacante alega que as supostas violações contra ele podem ser observadas nos FIFA’s de 2015 a 2021, e do lateral Rafinha, nas edições do jogo de 2008 a 2019 e 2021 e nos FIFA Manager de 2008 a 2014.

Os dois processos ainda não obtiveram uma decisão de primeira instância e as indenizações pedidas por Calleri e Rafinha são nos valores de R$ 35 mil e R$ 200 mil, respectivamente.

Receba notícias do SPFC no WhatsApp e Telegram.
Siga-nos no Instagram, no YouTube e no Twitter.

Compartilhe esta notícia
Comente!