Especialista descreve a gestão do São Paulo no biênio 2021/22 como ‘ineficiente’

O atual presidente do São Paulo, Julio Casares, que assumiu o cargo em janeiro de 2021 com mandato que termina ao final deste ano, quando novamente terá a eleição. Lembrando que foi aprovada a proposta de reeleição, ou seja, Casares pode concorrer e ficar mais três anos no comando do clube Tricolor.

Recentemente, foi divulgado o balanço financeiro do São Paulo referente ao ano de 2022 e a diretoria se mostrou otimista com os resultados apresentados, sendo até mesmo visto como “modelo de gestão” pelo estudo da Sports Value, que mostrou o Tricolor como um dos clubes brasileiros que mais evoluíram no quesito de equilíbrio de contas, porém continuando com alta dívida total no valor de R$ 587 milhões aproximadamente.

No entanto, o especialista Flavio Marques, que é formado em Engenharia Mecânica pela Poli/USP, com pós-graduação em Administração de Empresas pela EASP/FGV e MBA Internacional em Finanças Empresariais pela FGV/Ohio University, questiona a análise dos números apresentados e classifica a gestão do clube do Morumbi no biênio 2021/2022 como ‘ineficiente’.

Em um texto no seu site, Marques cita alguns pontos que entram em contradição e um dos que chama a atenção é que o Tricolor está entre os cinco clubes que mais gastaram para formar o elenco nestes dois anos, cerca de R$ 870 milhões, com isso, cada ponto conquistado pelo time no Brasileirão, somando as duas temporadas que consistem em 76 jogos, custou R$ 7,8 milhões.

Todavia, neste período, o São Paulo conquistou apenas o Campeonato Paulista, chegando em duas finais em 2022 (Paulistão e SulAmericana), mas ficando com o vice-campeonato em ambas.

Em comparação com o rival Palmeiras, que gastou 44% a mais com o time, teve também 44% de eficiência, visto que conquistou o Brasileiro de 2022, a Copa do Brasil 2020 (que terminou em 2021 devido à pandemia), duas Libertadores (2020, que também terminou em 2021 e o título da América da temporada 2021).

No quadro abaixo, é possível ver a comparação entre os gastos, pontuações e títulos durante este período:

quadro01 | Arquibancada Tricolor
Especialista descreve a gestão do São Paulo no biênio 2021/22 como 'ineficiente' 3

Para Flavio, o problema do São Paulo está mais relacionado a como a gestão administra os recursos do que na realidade a falta dele, uma vez que muito se fala sobre os problemas financeiros herdados das gestões anteriores.

Algo interessante abordado pelo especialista na questão esportiva é que algumas partidas deixaram de ser computadas no relatório no período entre janeiro e fevereiro de 2021, que dizem respeito a jogos referentes à temporada 2020 que se estendeu até o ano seguinte devido à pandemia da Covid-19.

No entanto, como assumiu em 1º de janeiro de 2021, tais jogos deveriam ser incluídos como parte desta nova gestão. Caso isso acontecesse, o desempenho da equipe seria o que está na imagem na parte de baixo:

performance esportiva | Arquibancada Tricolor
Especialista descreve a gestão do São Paulo no biênio 2021/22 como 'ineficiente' 4

No que se diz respeito ao futebol, o final da temporada 2020 que foi realizada no início de 2021, não foi nada boa para o São Paulo que até então tinha chances de conquistar o Campeonato Brasileiro, mas acabou que a equipe não manteve o bom desempenho, acabou perdendo pontos e terminou a competição em 4º colocado.

Flavio destaca outros pontos e traz diversas estatísticas questionando a análise obtida de que a gestão do clube realmente tem conseguido gerir com efetividade as finanças do clube e você pode conferir mais destes números clicando aqui.

Recomendamos também a participação de Flavio Marques no programa ‘Semana Tricolor’ para entender ainda mais sobre o assunto:

Caso não consiga visualizar clique aqui.

Siga-nos no Instagram, no YouTube e no Twitter. Conheça a nossa Loja.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você concorda com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler mais