Lateral-esquerdo arretado e Tricolor

Jenilson Ângelo de Souza, ou simplesmente Júnior, este foi o último grande lateral-esquerdo do São Paulo.






Pouco valorizado, o baixinho foi pentacampeão mundial com a seleção e ainda arrebatou conquistas pelo Tricolor Paulista.

Peça importante no vitorioso São Paulo de 2005-2010, Júnior foi um dos jogadores mais regulares que atuaram no clube naquela época. Quando se fala sobre, geralmente, os primeiros que vem à cabeça são: Rogério, Lugano, Cicinho, Mineiro, Amoroso… Mas, a realidade é que poucos se lembram do baixinho bom de bola, e com grande qualidade nos cruzamentos, Júnior.

Carreira

Começou no Vitória em 1994, depois de se destacar pelo time baiano, chegou ao badalado Palmeiras em 1996. Fez parte de uma fase vitoriosa do clube alviverde com mais de 300 jogos e, mesmo sem muita mídia, ou reconhecimento, chegou à seleção brasileira, convocado para a Gold Cup de 1998. Seu forte sempre foi o apoio, além do que, Júnior era excelente em cruzamentos.

Em 2000, foi vendido ao Parma da Itália, onde foi titular e peça fundamental no vice-campeonato italiano de 2000/2001 e no título da Coppa Italia de 2001/2002. Sua boa fase na Europa o rendeu convocações para a seleção brasileira, com a qual esteve na Copa América de 2001 e na Copa do Mundo de 2002. Fez um jogo na Copa do Japão, e ainda marcou gol na campanha do pentacampeonato mundial.

Multicampeão no Tricolor

Em 2003, foi emprestado ao Siena, também da Itália e no ano seguinte, em 2004, voltou ao Brasil e fechou com o São Paulo. Desde que chegou, foi titular e sagrou-se campeão paulista em 2005, do Mundial e da Libertadores no mesmo ano. Participou ainda da campanha do Tri campeonato brasileiro (2006, 2007 e 2008). Nos dois últimos anos, acabou perdendo um pouco de espaço para Jorge Wagner, mas ainda foi peça importante naquele time.

No fim de 2008, ele não renovou com o Tricolor e fechou com o Atlético Mineiro. Após um ano e meio no clube mineiro, passou pelo Goiás e se aposentou no fim de 2010.

Por onde anda?

Atualmente ele é dono de um restaurante em Belo Horizonte, onde reside até hoje. Pelo São Paulo, disputou 144 jogos e marcou 6 gols. Participou de um período vitorioso do clube e de muitas campanhas vitoriosas. Além disso, é um jogador extremamente vitorioso, com dois títulos de Libertadores e dois títulos mundiais.

Com um currículo desses, merecia ser mais valorizado, não somente pelos são-paulinos, mas por todos os brasileiros.

Foto: Imortais do Futebol

 

Por Victor Vasques

Comente com sua conta do Facebook:

Confira outras notícias no Arquibancada Tricolor