O amor um dia acaba?

Me pergunto isso a cada vez que escuto ou leio mais e mais são-paulinos perdendo interesse em acompanhar os jogos do time. O amor um dia acaba?

Seja no estádio, na internet ou na televisão, temos visto muitos amigos que já não tem mais aquela vontade de ver os jogos. Não por deixarem de ser torcedores, mas para não passar mais raiva.

O futebol é a coisa mais importante dentre as menos importantes, como diz Milton Neves, e portanto, algo que deveria nos divertir e trazer algum prazer.

No entanto, o que temos visto nos últimos longos 7 anos, é uma sequência de fatos que nos deixa revoltados, envergonhados e depressivos.

Não conseguimos mais ver aquela ansiedade e alegria que tínhamos antes, em saber que era dia de jogo do São Paulo.

Nossas crianças, já não tem o mesmo interesse por clubes daqui e por mais que os pais façam um trabalho de Hércules, chega um momento que faltam argumentos.

Como uma dessas crianças vai escolher continuar sendo torcedor do São Paulo sem vitórias, acumulando derrotas e vexames, sendo a piada da escola ou entre os amigos?

É duro ler isso, eu sei. Me dói escrever.

Mas será que você aí, que está com raiva dessa realidade, está enfurecido pelo que eu escrevi ou por quem levou o São Paulo Futebol Clube, único clube brasileiro Tricampeão do Mundo a esse patamar?

Filme repetido

Mais do mesmo

Se você acompanha nossas postagens, vai lembrar de uma que fiz aqui em 2017, fazendo uma analogia a um filme que tinha o “Dia da Marmota”, em que as mesmas coisas se repetiam infinitamente.

Até os “protestos” são os mesmos: alguns vão até o portão principal depois de um jogo como o de hoje, gritam palavras de ordem contra um ou outro jogador, amaciam nas críticas a quem realmente tem culpa e pronto.

Nosso clube foi jogado no lixo. Você vê alguma diferença no processo que passamos com o que fizeram com a Portuguesa ao longo de anos?

Sempre fomos exemplos de pioneirismo, ousadia, organização e hoje, até mesmo os debates sobre futuro causam rachaduras entre torcedores (pra não mencionar dirigentes).

Cada um por si e o SPFC por todos

Os amigos Marcelo Hazan e Eduardo Rodrigues postaram há alguns dias no Globoesporte.com, uma matéria falando sobre uma reunião de conselho no clube, onde boa parte saiu e não voltou.

Vejam o desrespeito com o clube e como essa galera está mais preocupada em si, em suas razões. Situação e opositores não pensam no bem comum, não tentam se unir pelo clube.

E o quanto isso reflete no gramado? Muito!

Com esse tipo de “comando” no clube, que tipo de profissional você, caro torcedor, acredita que está no clube para cobrar empenho e resultados de jogadores, departamento físico e médico?






Jogadores consagrados e que sabem jogar, são rapidamente contaminados pelo atual ambiente podre e corrompido desse clube.

E você imagina algum diretor ou gestor tendo culhões para chegar no vestiário e dando tapa na porta dos armários cobrando jogadores milionários?

Fernando Diniz tem bagagem para cobrar estrelas?

Como um treinador “contratado” pelos jogadores vai ter moral de tirar do time quem não está bem, mas é estrela? Até mesmo porque Fernando Diniz não tem essa bagagem toda ou resultados que lhe deem respaldo para isso.

Hoje em dia, basta uma cobrança mais direta e alguns jogadores vão nas mídias sociais ou na imprensa reclamar, depois de chorar com seus empresários, que os colocarão em outros clubes e lá, serão campeões.

Leco, diretoria e conselho. Fora!

Leco daria uma prova de amor ao São Paulo?

A maior parcela de culpa, em minha opinião há muito tempo aqui, é da presidência e seus discípulos.

Uma diretoria que muda de rumo a cada três meses, sem encontrar o caminho certo, que contrata no grito da torcida, que não apresenta resultados e que não cobra ou pune quem não apresenta resultados, precisa sair.

Hoje mesmo, até o eterno presidente boliviano Evo Morales, pediu a renúncia e Leco, poderia ter a mesma atitude.

Não entrarei aqui em política, apenas quis ilustrar um cenário, que fique bem claro.

Será que Leco, por amor ao São Paulo Futebol Clube, que diz manter, teria a coragem de pedir sua renúncia, vendo que não foi capaz de melhorar a instituição? Daria essa prova de amor?

E nós, torcedores?

Nós somos os otários nessa história toda.

Pagamos ingressos caros, muitas vezes somos tratados mal, desrespeitados em ver nosso maior amor sendo representado dessa maneira porca, mas continuamos lá, pois amamos o São Paulo Futebol Clube, não é mesmo?

Mas será que aguentamos isso por muito tempo ou um dia o amor acaba?

Eles estão tentando. Com alguns, vão conseguindo…

Comente com sua conta do Facebook: