“O ápice da minha carreira foi no São Paulo, o clube do meu coração”, afirma Cicinho

Campeão da Libertadores e do Mundial pelo São Paulo em 2005, Cicinho brilhou em campo com grandes atuações ao longo da sua carreira no Tricolor. Foram 151 partidas: 88 vitórias, 29 empates, 34 derrotas e 21 gols marcados.

Depois que deixou o clube e até após a sua aposentadoria, o ex-atleta nunca escondeu o seu carinho pelo São Paulo, o que ele ressaltou mais uma vez em entrevista para a Fox Sports:

“O ápice da minha carreira não foi nem no Real Madrid e nem na Seleção Brasileira, mas sim no São Paulo, um clube que eu tenho uma eterna gratidão. Criei uma identidade, uma identificação e é o clube do meu coração.”

O ex-lateral direito também falou sobre o momento em que o time vivia antes das paralisações das competições em decorrência da pandemia do Covid-19 e as suas expectativas como torcedor para o futuro do Tricolor:

“O São Paulo tem tudo para voltar a conquistar os títulos que nós torcedores sonhamos. O segredo está no planejamento e eu vejo algo diferente no São Paulo esse ano, pois eles não estão jogando a pressão pra cima do treinador, mas sim o elenco está assumindo a responsabilidade, e eu acho que isso é muito importante.”

Ainda completou: “Não adianta começar o trabalho com um treinador e depois trocar e mudar tudo. É preciso ter um padrão, dar essa confiança para o treinador e os jogadores abraçarem o que ele está pedindo. Em 2005, nós fizemos isso com o Paulo Autuori e deu resultado. E eu tenho visto isso com o elenco do São Paulo em relação ao Diniz, e a minha torcida é para que o time consiga manter um bom futebol após a pandemia”.

Confira a entrevista completa abaixo:

Fonte: Fox Sports
Foto: Rubens Chiri / São Paulo FC

Comente com sua conta do Facebook: