Jornalista explica especulação de Pastore no São Paulo
Foto: Divulgação/AS Roma

Enquanto o São Paulo esteve sob o comando do técnico Hernán Crespo, na temporada passada, o nome do meia argentino Javier Pastore havia sido ventilado no time. De acordo com alguns setores da mídia, o atleta seria um pedido direto do treinador para reforçar o elenco tricolor, após o seu rompimento com a Roma. Atualmente no Elche, da Espanha, Pastore estaria em fim de contrato e novamente aparece especulado no clube do Morumbi.

O jornalista Jorge Nicola se debruçou sobre a situação e detalhou o que há de verdade na possibilidade de o meia acertar com o São Paulo na próxima janela de transferências.

Ele está de saída do Elche, da Espanha. Pastore chegou a ser comprado pelo PSG em 2011 por 42 milhões de euros e era tratado como uma das maiores joias do futebol mundial. Até teve uma passagem boa na França, mas se mudou para a Roma, conviveu com muitas lesões e teve seu contrato rescindido na metade do ano passado. Ele fechou com o Elche, apesar de ter recebido uma proposta oficial para jogar no São Paulo. O Tricolor tentou contratá-lo de julho para agosto do ano passado. (…) Ele ganha na casa dos 600 mil reais por mês livres de impostos. Para chegar a esse valor, o São Paulo precisaria arcar com algo em torno de 900 mil reais. O grande problema é a questão física, a incapacidade de entrar em forma para uma sequência de jogos. (…) Procurei um dirigente do São Paulo para saber se o Pastore estaria na mira, já que o time ainda procura um camisa 10. Ele disse que André Anderson é uma esperança para a posição e Pastore só chegaria se topasse um salário inferior ao que recebe atualmente“, explicou Nicola.

Confira a apuração completa no vídeo abaixo. Ou clique aqui.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorCeni vê São Paulo superior, fala em desatenção de lance treinado e lamenta: “Futebol não tem lógica”
Próximo PostSão Paulo encara o ESMAC pelo Brasileirão Feminino
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.