Foto: Rubens Chiri / São Paulo FC

Após uma tentativa frustrada de patrocínio em 2020 com a empresa iSure, que chegou a ter a marca estampada em três jogos do São Paulo, o clube entrou na Justiça cobrando R$2,5 milhões.

A controvérsia se deu por conta da transação envolver um intermediário – justamente o centro da celeuma atual da questão na justiça. A iSure, que é uma empresa de seguros, viu sua marca deixar a camisa do time após não efetuar o pagamento combinado. Por isso, o Tricolor cobra o valor da multa rescisória.

O intermediário da contratação foi Lucas Jeronymo de Moraes, que apresentou a iSure ao São Paulo, tornou-se réu por estelionato em duas oportunidades. Ele alega que é vítima na história.

A apuração foi feita pelo Globo Esporte. Você pode conferir tudo clicando aqui.