Careca e Pita - São Paulo
Foto: Afonso Pastore / São Paulo FC

Pita é um dos grandes jogadores que marcaram época no São Paulo e que se destacou usando a camisa Tricolor entre os anos de 1984 e 1988 e foi uma das peças importantes da campanha do título brasileiro de 1986, tornando-se um dos grandes nomes da história do clube.

Depois de se aposentar como jogador, Pita trabalhou na divisão de base do São Paulo em três ocasiões, a última delas entre os anos de 2017 e 2021, sendo demitido recentemente com a chegada de Marcos Biasotto, que assumiu a diretoria-executiva de futebol de base do Tricolor no início deste ano.

O trabalho de Pita era voltado para a captação de atletas, com atividades relacionadas à base desde 1995, tendo ligação com algumas revelações de jogadores do São Paulo como Kaká, Fabio Simplício, Julio Baptista, por exemplo.

Kaká em 2001
Foto: Divulgação

Em entrevista ao UOL, Pita revelou os conselhos que dava a alguns dos jogadores do São Paulo que fazem parte do atual elenco profissional como Gabriel Sara, Brenner e Antony.

“Os garotos do nosso trabalho vão despontar mais para frente. Essa turma toda, Gabriel Sara, Brenner, é do pessoal da antiga. O que nós ajudamos foi na experiência de campo, principalmente para os meias, sobre como chegar à área, pisar na área. A gente conversou com Brenner, Antony também. Eu passei as coisas boas para eles. Essas eram as orientações que eu fazia para esses garotos”.

Gabriel Sara
Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

O ex-jogador e ídolo são-paulino também explicou como funcionava o seu trabalho no dia a dia do clube.

“O meu trabalho era como coordenador de captação, mas eu ficava mais nos campos, acompanhava os treinamentos. Eu tinha liberdade para orientar um jogador que precisasse. Alguns erros em jogos eu comentava com eles no dia a dia. A gente procurava passar as informações mais corretas para eles virarem grandes jogadores. Às vezes, surge poucos jogadores que driblam, que entram na área, que tentam passar pelo adversário. Os garotos de agora são fruto de um grande trabalho que foi feito quando chegamos e também do trabalho anterior”.

E completou: “Nós trabalhamos mais na faixa de jogadores nascidos em 2007, 2006, 2005 e 2004. Até tem um jogador que está subindo ao profissional, o Lucas Beraldo. Essa é a safra que nós temos trabalho. O goleiro Leandro, o Felipe são jogadores da nossa captação. Essa é a safra do nosso trabalho, e algum outro que pegamos de 2002. Os demais nós ajudamos com trabalho de campo, posicionamento. O nosso trabalho de captação vai ser visto a partir de agora. Com os trabalhos, vão surgir aos poucos esses nomes”.

Fonte: UOL

Post anteriorApós crise de diverticulite, Muricy é afastado do SPFC
Próximo PostBase Tricolor reforça a semana de treinamento do profissional com a paralisação do Paulista 2021
Vanessa Dias, 25 anos e sou de Araras, interior de São Paulo. Formada em Relações Públicas, especialista em Mídias Digitais e apaixonada por futebol desde que me conheço por gente. Sou parte do time desde o começo de 2018, onde trabalhamos todos os dias para que a torcida esteja sempre em conexão com o clube do coração.