Por que Sidão não vai sair do time?

Não é novidade que o goleiro Sidão vem sendo alvo de muitas críticas de torcedores, com isso se intensificando mais nas últimas semanas, após lances que se repetem e deixam todos inseguros.

Antes de seguir com o texto, vale uma mensagem para os mais afoitos, que leem apenas o título e já tiram suas conclusões: Não acho que Sidão seja goleiro para o São Paulo e por mim, não seria o titular da equipe.

Porém, como o futebol na vida real não é um jogo de FIFA ou PES, a coisa toda é um pouco mais complicada do que simplesmente tirar o goleiro e colocar outro, achando que os problemas serão solucionados.

Existe um fator muito importante, que é ressaltado por treinadores, jogadores, comissão técnica, setoristas e todos os envolvidos no dia a dia de um clube de futebol e que precisa ser considerado. Ambiente de grupo.

Todos nós lembramos como o elenco do São Paulo estava com o clima pesado e rachado na época em que tínhamos Cueva e outros. Petros confirmou isso quando declarou que ao chegar no Tricolor, muitos nem se falavam.

Em resumo: Você se dedica e corre mais pelos companheiros ou seu chefe, quando o clima é bom e o ambiente de trabalho é divertido. Isso ocorre em qualquer carreira.

Mas o que isso tem a ver com Sidão?

Muito. Sidão é um cara querido pelo grupo, que tem um ótimo convívio com o elenco e todos tem muito respeito por ele.

Isso pode ser uma pretensiosa percepção minha, mas você pode conferir isso nos vídeos de bastidores da SPFCTV, canal de YouTube do São Paulo, nas brincadeiras antes dos jogos e na rotina do elenco, quando eles são o que realmente são.

Não é uma mera coincidência o São Paulo ter crescido tanto de produção com Diego Aguirre e a notória diferença de comportamento dos jogadores em comparação ao início do ano ou à temporada anterior.

Como diz o amigo Bruno Mancini, um elenco meia-boca unido, pode se superar e jogar muito mais do que um elenco de estrelas que não se fala e essa situação nós já vimos com o Corinthians, que não tinha um elenco brilhante, mas levou títulos importantes no ano passado.

Ok, e as falhas? Vamos arriscar a briga pelo título por camaradagem?

Pensando friamente, você acha que valeria a pena para Diego Aguirre arriscar quebrar um bom ambiente do grupo, para atender críticas externas?






Logicamente, como torcedor, eu não consigo ter segurança em Sidão e como disse acima, não acho que seja um goleiro com porte suficiente para guardar as metas do Tricolor, que já tiveram tantos nomes de peso, mas seria um risco mexer nisso agora.

A não ser que Sidão falhe muito mais, entregue resultados e seja insustentável sua permanência até mesmo para que o grupo o defenda, Aguirre não deverá mexer nessa posição. E, sinceramente, eu não vou torcer para que isso aconteça, pois quero ver o Tricolor brigar o quanto puder por esse título.

Quando questionado sobre Sidão, Aguirre declarou na coletiva pós-jogo no último sábado que conversou com a comissão técnica e todos afirmaram que é a melhor opção para o momento, pedindo confiança.

O fato do treinador se mostrar disponível para avaliar o caso e ouvir os demais membros da equipe, mostra o quanto é um cara diferenciado em comparação a outros “ditadores” que já passaram pelo Morumbi.

Isso faz o treinador uruguaio ter conquistado a confiança e amizade do elenco, um dos fatores fundamentais dessa equipe.

Quem colocar em seu lugar?

Essa é outra questão bem importante que também impacta na manutenção de Sidão no gol Tricolor. Temos como opções atualmente no elenco, os jovens goleiros Jean e Lucas Perri.

O ex-goleiro do Bahia foi contratado como uma oportunidade de mercado (embora eu tenha achado muito caro), para ser desenvolvido e preparado para assumir a titularidade, pois Sidão tem contrato até o final do ano que vem.

Fez algumas partidas, foi titular na curta campanha do São Paulo na Copa Sul-Americana, mas ainda não mostrou estar pronto para “tomar” a titularidade e ainda ter a insegurança natural de quem não vem jogando com frequência. Lembrem-se que Denis, quando substituía Rogério, agarrava demais, mas quando foi titular, decepcionou.

 

Lucas Perri é um goleiro ainda mais jovem que Jean, pode ganhar mais espaço no futuro, mas ainda sequer fez sua estreia no time profissional e a falta de experiência deve ser levada em consideração em uma disputa pesada como a do Brasileirão. Não será utilizado neste ano, exceto aconteça alguma situação muito particular, mas deve ganhar oportunidades no próximo ano.

Promover a entrada de jovens da base, é algo que o São Paulo vem fazendo bem, ainda mais agora com a presença de André Jardine, mas etapas não podem ser queimadas. Veja o exemplo de Brenner, que vinha com números impressionantes na base, pouco ficou no Sub-20 e, promovido para o time principal, ainda não se encontrou.

E um novo goleiro?

Sim, é possível e já se especulou algumas vezes durante o ano, que a diretoria está de olho ou até mesmo já recebeu ofertas de alguns nomes para contratação futura.

Isso impactaria o desenvolvimento de Jean e Lucas, mas é um dilema que a comissão técnica precisará decidir, pois pode manter Sidão como titular e ver o desempenho dos outros dois citados acima.

O que podemos esperar?

O Tricolor vai seguir na briga pelo hepta e terá jogos bem complicados pela frente, com isso, precisaremos apoiar ao máximo essa equipe que já mostra hombridade e caráter que justifica todo nosso empenho e confiança. Mesmo que não venha o título, teremos um ano de 2019 muito melhor.

O ano que vem já nos reserva (muito provavelmente) o retorno do São Paulo à Copa Libertadores, além das disputas da Copa do Brasil, Sul-Americana, Paulista e Brasileirão e, se não perdermos peças importantes, entraremos com boas chances de título em alguma dessas competições.

A comissão técnica precisará definir os pedidos de reforços e essa questão sobre o gol o quanto antes, seja para contratação de um novo goleiro ou bancar a manutenção de Sidão (o que particularmente, eu não acho uma boa opção).

Mas até que isso se mantenha, acredito que o melhor a se fazer, é torcer muito, apoiar e empurrar o time (inclusive Sidão), pois Aguirre conta com o aval de toda a comissão técnica e elenco para não sacá-lo do gol.

É a melhor opção? Não. Mas é o que temos pra hoje e por todo o contexto que temos, é o que devemos apoiar.

Concorda? Discorda? Deixe sua opinião abaixo!

 

Comente com sua conta do Facebook:

Confira outras notícias no Arquibancada Tricolor