Portimonense não cumpre meta e zagueiro fica distante
Foto: Portimonense / Twitter

Após a vitória sobre a Ponte Preta, ainda na primeira fase do Campeonato Paulista de 2022, o São Paulo iniciava o reconhecimento do interesse oficial pelo zagueiro Willyan Rocha, do Portimonense. Tanto assim que dirigentes do clube se reuniram com representantes lusitanos para acertar um momento para um possível acerto do defensor com o Tricolor. A proposta era de o Portimonense reunir pontos suficientes para se livrar do rebaixamento na Primeira Liga. Porém, isso não aconteceu até hoje e o zagueiro está distante dos planos do clube.

Na ocasião, reportada pelo jornalista Marcelo Baseggio, Theodoro Fonseca, proprietário do Portimonense, e Rui Costa, diretor executivo do São Paulo, reuniram-se e estipularam as condições para que o negócio conseguisse prosperar. O Portimonense precisava alcançar 32 pontos e tinha 27 à época. De lá para cá, o clube simplesmente disputou seis rodadas, ou seja, 18 pontos, e conquistou apenas 2 deles. Atualmente, o time se encontra com 29 pontos, na 12ª posição do campeonato português.

Confira a sequência de jogos do Portimonense desde a imposição feita:

Santa Clara 1×1 Portimonense (18/2)
Vizela 1×1 Portimonense (27/2)
Portimonense 1×2 Benfica (05/3)
Estoril 2×0 Portimonense (12/3)
Portimonense 1×2 Braga (20/3)
B-SAD 2×0 Portimonense (02/4)

Sem a possibilidade de negociar com Willyan Rocha e com uma carência clara na posição, o São Paulo sondou o zagueiro Igor Rabello, do Atlético Mineiro. Com contrato vigente com o Galo, o defensor dependeria de uma negociação mais flexibilizada entre os clubes – o que poderia envolver o nome de Tchê Tchê. Mas o Tricolor ainda estuda como faria a proposta.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorMauro Cezar justifica contratações de Volpi e Jandrei por ser o São Paulo um clube carente: “São Paulo continua sem goleiro”
Próximo PostAyacucho 2×3 São Paulo: confira os bastidores do jogo pela Copa Sul-Americana com gol fruto de treinamento
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.