“Quero jogar o Mundial de Clubes com o São Paulo”

Reforço do Tricolor para a sequência da temporada, o peruano Cueva foi apresentado nesta sexta-feira (24) e concedeu coletiva de imprensa no Centro de Treinamento da Barra Funda. O meia-atacante recebeu a camisa 13 do diretor executivo de futebol do São Paulo, Gustavo Vieira de Oliveira, e mais uma vez manifestou o seu orgulho com a oportunidade de trabalhar no tricampeão da Libertadores da América e do Mundial de Clubes.

Antes de falar como atleta são-paulino, porém, o armador foi elogiado pelo dirigente e recebeu as boas-vindas. “É um jogador que acompanhamos desde o início do ano. Aliás, as primeiras apresentações na Libertadores nos chamaram atenção. Esse processo nos mostrou que interessava. Ele mostrou talento em competição que nos faz acreditar. Tomamos a iniciativa de, ainda no jogo contra o Toluca-MEX lá, abordá-lo. Ele disse que teria o interesse e, a partir daí, começamos a conversar. As características dele nos interessam muito. Ele pode ocupar todas as posições da linha de ataque”, avaliou Vieira de Oliveira, que acrescentou.

“No Toluca, ele jogava aberto pela esquerda. Na seleção peruana era livre para participar. Isso nos dá um repertório maior e oferece ao treinador a possibilidade de usar como bem entender. Ele pode preparar as jogadas e também definir. É um jogador com experiência internacional e no ano passado foi eleito para a seleção da Copa América. É um jogador capaz de nos ajudar nos nossos desafios de 2016 e daí para frente. Infelizmente não poderá nos ajudar na Libertadores, mas também estamos planejando o segundo semestre e os próximos anos. Por isso ele chega ao São Paulo. Christian, seja bem-vindo”, completou.

Assim que recebeu o manto tricolor, Cueva festejou o acerto com o clube. “Estou muito feliz pela oportunidade de jogar no São Paulo. É a mais importante da minha carreira. Estou muito feliz. Estou preparado para assumir grandes coisas com o São Paulo. As conversas começaram na Libertadores, quando fui rival do São Paulo. Foi uma grande partida, que tenho guardada na minha mente. Quando falaram comigo para fazer parte dessa família linda, não pensei duas vezes. Estou feliz de estar aqui. Quero fazer meu trabalho no campo e dar o melhor por essa linda instituição”, afirmou o peruano, que emendou.

“Sempre segui o São Paulo, para ser sincero. É um clube muito conhecido internacionalmente. Foi lindo poder enfrentar o São Paulo. Queria mostrar meu talento para um grande como o São Paulo. É um sonho sendo realizado. Aspiro coisas muito grandes. No Peru dizemos que a vida só dá uma oportunidade e quero aproveitá-la. Posso jogar em todas posições do ataque, me sinto muito cômodo. Vinha jogando muito de ponta pela esquerda, com a seleção do professor Ricardo Gareca. Antes, jogava de meia, atrás do camisa 9. O importante é jogar, independentemente de onde seja. Estou muito ansioso para poder estrear e retribuir o carinho do São Paulo. Espero conseguir grandes coisas aqui. A posição quem decidirá é o técnico, mas primeiro tenho de brigar por um lugar. Há uma briga saudável pelas posições”, opinou.

Como já atuou na Libertadores deste ano, Cueva não poderá reforçar o São Paulo na semifinal. No entanto, como todo são-paulino, o meia-atacante está na torcida pelo clube. “É uma pena, porque me encantaria estar nessa Libertadores com o São Paulo. Estive com o Toluca, fico agradecido pela oportunidade. Mas vou comemorar e quero jogar o Mundial de Clubes com o São Paulo. Sempre vi o clube participar nas Libertadores. Mas lembro de um grande goleiro que tiveram, uma referência no time (o M1TO). Eu o vi batendo faltas, pênaltis, se aprende muito disso. Um jogador que admiro muito é o Ganso do time atual. Gosto muito da forma de jogar. Espero poder adquirir o que ele pode passar”, finalizou.

Let’s block ads! (Why?)

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você concorda com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler mais