#RolêAT – Inglaterra – Fulham FC

Fala galera do AT, tudo bom?

Aproveitei uma viagem a trabalho para a Inglaterra e como tinha férias pendentes, fiquei mais alguns dias para conseguir fazer algo que sonhava há muito tempo: Um tour por estádios de futebol.

Claro que no meio desse itinerário, tinha também a intenção de conhecer cidades e locais históricos, que sempre tive interesse, como Donington Park (a pista onde Ayrton Senna deu show em 1993) e cidades históricas.

Resolvi então pensar como poderia gerar algum conteúdo para o AT, já que não tinha muito a ver com o São Paulo, mas no caminho, comecei a pensar que seria legal mostrar como os clubes ingleses trabalham seu marketing e identidade.






A cada visita, era inevitável comparar as ações com o marketing Tricolor, que vem deixando muito a desejar.

Sendo assim, compartilho aqui, um pouco do que vi do primeiro clube que visitei nessa viagem, o Fulham Football Club, de Londres.

Fulham FC – 141 anos de história

Londres é uma cidade que tem muitos clubes e estádios, mas entre os que disputam regularmente a Premier League, o Fulham é o clube mais antigo da cidade.

O clube manda seus jogos no lendário Craven Cottage, desde 1896, que fica em um local muito bonito da cidade, próximo a um parque e na beira do Rio Tâmisa.

Craven Cottage, desde 1896

Infelizmente não consegui pegar as datas para fazer o tour pelo estádio. Por lá, não funciona como no Morumbi, com vários horários, pois a demanda é, logicamente, menor.

Na Inglaterra, é praticamente impossível tirar fotos do campo ou dar uma olhada no estádio, sem ser pelos tours, que é uma das formas em que eles monetizam e valorizam suas ações.

Claro que isso impede o acesso de muitos, mas não dá pra condenar a decisão, já que os estádios são propriedades privadas e eles precisam fazer grana.

Monetização e licenciamento de produtos

Só me restou conhecer a loja do clube. Modesta e pequena sim, mas muito bem equipada e o que surpreende é a quantidade de itens licenciados para venda.

Eu já havia visitado a loja no ano passado, mas como ela fechava às 17hs e na época cheguei com apenas 10 minutos para visitar, só dessa vez consegui olhar tudo com mais calma.

São diversos itens, com opções variadas de cores, tamanhos, linhas para cada público, e o principal: produtos e possibilidades para todos os bolsos.

A primeira coisa que me veio à cabeça quando comecei a andar pela loja: “Como que um clube pequeno da Inglaterra tem tantos produtos licenciados e disponíveis em uma loja e o São Paulo não?”.

Por que não conseguimos fazer igual?

No Brasil temos um problema grave com a pirataria de produtos e os altos impostos, obrigam com que fabricantes tenham que colocar os custos lá em cima, mas mesmo assim, dava pra fazer muita coisa legal com o SPFC.

Há poucos dias, o São Paulo comemorou 90 anos e praticamente nada foi feito, apenas um vídeo criado pela equipe de comunicação.

Temos poucos produtos oficiais à disposição do torcedor/consumidor são-paulino.

Muitos produtos do Fulham até tem semelhança com os do São Paulo, já que o Fulham também tem a adidas como fabricante dos uniformes.

Variedade de itens

Na loja você encontra desde os uniformes de jogo para adultos (linhas masculina e feminina), para crianças, linhas de treino, viagem e retrô, até itens menos comuns por aqui, como gravatas, escovas de dente, lâminas de barbear e muito mais.

O Fulham joga hoje a segunda divisão na Inglaterra e passa longe de ser um clube com muitos títulos, mas mantém seus torcedores fidelizados e uma média de público ocupando praticamente a capacidade total do estádio.

No caríssimo futebol inglês, é um clube que se mantém alternando participações na primeira divisão e, em 2010, chegou ao vice campeonato da Europa League.

Diferentes fontes de receita = Mais dinheiro

Diversificando receitas e com mais dinheiro em caixa, logicamente, mais investimentos na equipe podem ser feitos. Uma receita que parece básica demais, mas que um gigante como o São Paulo, praticamente não faz em seu marketing.

O São Paulo tem uma marca muito forte para ficar dependendo apenas da venda de jogadores ou de um Programa Sócio-Torcedor quase falido.

Uma visão da Loja Oficial do Fulham

Nos próximos dias, compartilho um pouco do que vi em outros clubes. Espero que curtam essa mini-série! 🙂

Comente com sua conta do Facebook: