Foto: Ivan Storti Flickr Santos FC

Nesta janela de fim de ano. o São Paulo vem enxugando a folha salarial para adequar o clube aos novos tempos. Ainda assim, na ânsia de reformular a equipe, a comissão técnica não descarta a possibilidade de contratar o venezuelano Yeferson Soteldo, que está no Toronto FC, do Canadá.

O meia, que fez uma boa temporada pelo rival Santos, estaria insatisfeito na América do Norte e veria com bons olhos uma volta ao Brasil. A diretoria do Tricolor, que tenta manter os pés no chão diante da dívida de quase 675 milhões, busca, para a mantença do sonho de repatriação do atleta, parceiros que possam arcar com os seus vencimentos.

O grande problema do São Paulo, de fato, é a concorrência. Além do Santos, que tem a vantagem de já contar com a simpatia do atleta, o Palmeiras entrou na jogada e, com um aporte financeiro dos melhores do país, dificultaria sobremaneira a negociata para o Tricolor.

Nesse sentido, a aposta do time do Morumbi seria contar com investidores para concretizar o negócio. Até agora, o clube contratou jogadores sem custo – Rafinha, Jandrei e Alisson. Soteldo custou aos cofres do Toronto cerca de 6 milhões de dólares. Por isso, o clube, que disputa a MLS, não estaria disposto a ceder o jogador de forma graciosa.

Pelo Toronto, o venezuelano disputou 26 jogos e marcou 4 gols. O salário dele está na casa dos quase 2 milhões de reais e, por essa razão, os dirigentes do Morumbi adotam muita cautela para executar a transferência. Apesar disso, o clube mantém conversas com o estafe do jogador e alimenta esperança de trazê-lo até o início da pré-temporada.

As informações são da Gazeta Esportiva e do Canal do Nicola.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorSão Paulo acerta concessão de uso do CT da Barra Funda por mais 40 anos
Próximo PostOnde serão transmitidos os jogos da Copinha 2022?
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.