São Paulo tem histórico amplamente desfavorável contra o RB Bragantino.
Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Nesta quinta-feira (3), o São Paulo vai ao Nabi Abi Chedid enfrentar o Red Bull Bragantino, em jogo válido pela terceira rodada do Paulistão 2022. Com apenas 1 ponto em 6 disputados, o Tricolor chega bastante pressionado e conta com um histórico muito desfavorável: tem apenas 22% de aproveitamento contra o Bragantino desde que se transformou em Red Bull.

A equipe de Bragança Paulista passou a ser gerida pela empresa de energéticos em abril de 2019. De lá para cá, foram 6 jogos entre São Paulo e Bragantino, com 4 vitórias do Massa Bruta, 1 vitória do São Paulo e 1 empate. Jogando em casa, o time do interior não perdeu nenhuma partida: foram 2 jogos e 2 vitórias – incluindo o 4×2 no Brasileirão de 2020 que representou a derrocada do título do Tricolor.

A única vitória da equipe do Morumbi foi sob o comando de Hernán Crespo, no Paulistão de 2021 – que acabou sendo conquistado pelo São Paulo. O placar foi o mínimo: 1×0, com gol contra do zagueiro Léo Ortiz. Depois disso, houve mais dois jogos pelo Brasileirão, com duas vitórias do Bragantino: uma no Morumbi, por 2×1, e outra no Nabibão, por 1×0.

Confira o histórico do confronto desde que o Bragantino passou a ser RB:

São Paulo 2×3 Bragantino – Paulistão 2020

São Paulo 1×1 Bragantino – Brasileirão 2020

Bragantino 4×2 São Paulo – Brasileirão 2020

São Paulo 1×0 Bragantino – Paulistão 2021

São Paulo 1×2 Bragantino – Brasileirão 2021

Bragantino 1×0 São Paulo – Brasileirão 2021

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorBordeaux desiste, e São Paulo fica otimista pelo zagueiro Willyan Rocha
Próximo PostTricolor tem baixo aproveitamento em finalizações no começo do Paulistão
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.